Marcadores

Da Gabi (161) Dos queridos (54) Amor (48) Por aí (35) Família (29) Dicas (28) Comidas (18) Viagem (16) Chatices (15) Esportes (13) Trabalho (12) Livros (9) Música (9) Crianças (5) Sampa (3) Filmes (2) Moda (2) PequenasFelicidades (1)

Instagram

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Em 2011 eu...

... fiz várias coisas, e vou dizer que estou totalmente inspirada no post da Ale Barbosa de outro dia. Cá estou pensando nas coisas que eu fiz, vamos lá:

  • Comecei o ano na praia - Pipa!
  • Tomei muitos cafés com devaneios.
  • Falei mais do que devia, sofri mais do que esperava e aprendi de uma forma meio torta certas coisas.
  • Mudei de área no trabalho, já estava na hora e fiquei feliz com isso!
  • Virei balzaquiana com direito a duas festas: com amigos e com família!
  • Cheguei finalmente nos 19% de gordura, o ideal pra mulheres da minha idade! ADORO!
  • Bebi mais que nos outros anos, e não fiquei mais gorda ou maiz zoada por isso, yessss! Obrigada querida cirurgia da vesícula por se comportar tão bem comigo =)
  • Fui a lugares diferente e conheci músicas muito legais e gente muito legal já citadas por aqui em algum lugar...
  • Nunca estive tão descolorida em toda a minha vida, uma branquela... (ironicamente estou em santos e está chovendo horrores).
  • Mergulhei de cabeça na crise dos 30 anos, é um saco pra quem ainda não passou por isso viu....
  • Conclui as aulas do meu MBA com notas nunca vistas na história dessa pessoa (rs rs, é sério, nada como a maturidade).
  • Encontrei com os amigos menos do que eu gostaria, mas fiz um MBA vai.... Apesar disso, os amigos de verdade estão sempre comigo, em mim, de uma forma ou de outra.
  • Voltei a ter meu ingles da época que estudava, ou até melhor, graças a minha teacher Cyndy, e a minha disposição de estar na casa dela às 7h da manhã todas as terças e quintas.
  • Virei "sócia" de um blog das Pequenas Felicidades que vivemos diariamente. As Pequenas Felicidades - by Gabi e Cris
  • Economizei muito por prioridades maiores da minha vida.
  • Desapeguei de muitas coisas materiais, parei de ir ao shopping...
  • Aprendi a fazer mais elogios, formalmente falando, e isso é bem gratificante!
  • Criei esse blog, e me expus como nunca tinha feito antes...
  • Descobri que tem bastante gente que lê o meu blog, adorei!
  • Também descobri que sirvo de exemplo pra quem não me conhece, e como é legal saber disso! Como é bom saber que tem gente que me admira de graça, sem eu ter que me esforçar pra chamar atenção, isso é o 'de verdade da coisa'. A vida devia ser mais assim.
  • Comecei um grupo de discussões mega devaneios, que eu adoro, e me empolgo mto!
  • Passei momentos especiais com a minha querida família especial,
  • Reencontros de família que não é família, mas é como se fosse por causa dos irmãos por escolha que meus avós fizeram (Gi, esse foi especialmente pra você)
  • Me dei de presente de Natal uma vida nova e um 2012 muito diferente de 2011.

Saldo positivo, né?!

Não quero fazer a listinha de 2012, não... Só quero ser feliz e mais leve (em todos os sentidos), dá pra ser?!

Vamos ver no que vai dar... Vou contando as novidades por aqui pros meus fiéis leitores.... rs rs.

O Último Tango em Paris 03 de 25

Esse ano eu comecei a fazer a coleção da Folha de Filmes Europeus. São 25, e eu vi apenas 3 até agora:


Cinema Paradiso - Lindíssimo e mega recomendado.
A doce Vida - Não peguei o 'quê' do filme... parei no meio, enfim, só achei o ator bonitão.
O Último Tango em Paris foi o de hoje.

Em Santos, com uma chuva chata que teima em ir e vir, o que não deixa a gente fazer praticamente nada...Não me enfio no shopping nem por decreto... Enfim, assisti o filme no meu computador, porque ver esses filmes com os avós na sala não rola. Quem já assistiu sabe do que eu to falando... Cenas de sexo que me deixam com vergonha dos meus irmãos, o que dirá dos meu avós!

Recomendado. Pra quem me conhece um pouco sabe que eu adoro uma coisa
antiga, a Paris antiga é lindo, Marlon Brando mais lindo ainda e a história é bem legal. Pra quem não viu e quer ver pare de ler agora...

É a história de um casal que se conhece do nada, ele bem mais velho que ela, e vivem um romance, não sei se romance é o correto, vivem sexo casual, sem saberem nada um do outro. E vão vivendo isso. Ela noiva, ele viúvo. Ela querendo saber mais dele, ele querendo fugir da realidade e da dor que sofreu com a perda da mulher. Quando ele quer, ai ela que não quer mais... Cenas de sexo consideradas fortíssimas pra época em que foi filmado (1972 de acordo com wikipedia), bem bonitas, cenários restritos...

Enfim, muito bom ouvir um francês, misturado com inglês nessa tarde chuvosa, e que me deixou com vontade de ir a Paris novamente. Vamos?!

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Feliz Natal!!!!

Antes de desejar um Feliz Natal eu desejo a todos um pouco mais de poesia! Outro dia ouvi no rádio um fórum que questionava o Natal, questionavam se o Natal era mesmo uma data bacana ou se já tinha virado algo totalmente comercial, e só se tinha trabalho, muito trânsito, filas, e gastação de dinheiro...

E os comentários? Socorro!!! Não tinha ninguém que estivesse feliz por causa dessa época do ano. Todo mundo reclamando da vida, por que?! Alguém é obrigado a entrar num shopping lotado e comprar um presente pra quem não quer? Obrigado por quem, pela sociedade, pela própria consciência?! Consciência que anda bem fracota, né?! Na boa dar presente por obrigação é no mínimo cafona!

Será que só eu acho o Natal super legal?! Eu adoro o verão, o horário de verão, a cidade cheia de luzes, a minha casa com detalhes em todos os cantinhos, que eu alias, faço questão de decorar. Adoro a expectativa do meu avô pra comer a leitoinha assada, e se possível escolhida viva. E quando ele chega com as compras? Parece que é um batalhão que vai vir e não só a família. Adoro aquele cheiro dos assados em casa no dia 24. Dou risada com os discursos natalinos que a minha avó faz questão que o tio Wilson faça (faz tempo que não passamos o Natal juntos, mas me lembro disso todo ano). Também curto organizar a mesa, as flores, com cuidado, com amor, praquelas pessoas que realmente importam na minha vida: minha família!

Árvore da família Salata Antunes
Tenho uma nostalgia maravilhosa da minha infância, época em que sempre passávamos o Natal com muita gente, tudo família, um monte de primo tudo da mesma idade. E aí chegava a hora de procurar o Papai Noel... Meu pai puxava a criançada, e não é que o danadinho do Papai Noel sempre passava enquanto estávamos na rua... Lembro do cheirinho dos jardins de Santos, do clássico disco natalino da Simone. E quando a Shell fechava o Playcenter pros funcionários e seus filhos?! Sensacional, ganhávamos presentes e comíamos cachorro quente, devidamente vestidinhas de Shell, quase mini frentistas. Lembro dos presentes, mas lembro de poucos deles.... Esses pedaços emocionais são os mais legais, os que realmente sinto saudade, e os que realmente quero que fiquem pra sempre.

Acho uma pena as pessoas limitarem o Natal a obrigações financeiras, sinal que virou todo mundo adulto e chato.

Desejo então mais poesia e mais infância nesse Natal!

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Só quem está em paz e feliz...

Por Edu Euka
.... consegue perceber certas sutilezas da vida. Só quem tem delicadeza percebe que o mundo está em movimento o tempo todo, né Cris?! "Estava hoje na praia vendo grãozinhos de areia se movimentarem na areia com o vento quando achamos que está tudo parado. O mar está em constante movimento". Se alguém vir o comentário do post anterior vai ver exatamente essa frase, que me tocou.


Por Edu Euka

Quantas vezes coseguimos parar e perceber esse tipo de coisa? Grãozinhos de areia se movimentando com o vento... Uma onda daqui, outra de lá, um sirizinho correndo, uma árvore balançando. Quantas vezes a nossa cabeça corrida por dentro deixa a gente ver coisas simples e lindas?! Sempre penso nisso quando vejo as fotos de um amigo fofo e de uma sensibilidade tremenda. Ele é fotógrafo e consegue fazer de uma cena simples do cotidiano uma arte em forma de fotografia. Edu é uma das pessoas mais alto astral que conheço! Sempre uma delícia encontrar com ele, perceber que a vida pode ser mais leve, e deve ter mais poesia.

Por Edu Euka

É isso!

Agora só um PS: numa olhadinha no fcb do Edu, em apenas UM álbum eu não consegui escolher só UMA foto, então vão três mesmo!





segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

"Tenho medo do que vai ser quando a gente se aposentar"

Frase de um diretor da empresa que trabalho, e que não vou dizer o nome (dele) porque a gente nunca sabe até quando a pessoa está disposta a encontrar o seu nome numa "googlada", né?! Vai que....

Hoje pela primeira vez, em função da minha nova área, participei de uma reunião da Diretoria dele e dos seus gestores. Final de ano, demonstração dos resultados, conquistas de cada área, desafios do ano que vem, e no meio de algumas anotações não pude resistir e anotar exatamente mais algumas das frases que esse diretor disse.

Assim... Sobre a aposentadoria eu tenho pânico. Pânico porque a minha referência são os meus avós, que não fazem absolutamente nada. Amo eles, mas não quero ter a vida que eles tem. Meu avô tem uma paixão por carros, fica vendo o jornal do carro e falando bem da VW. Ele cria vários racionais pra jogar na Mega Sena e ajudar a família inteira. Minhas avós se focam muito em religião. Uma só lê livro espiríta, a outra adora missas as 4as e domingos. Acho que eu sou muito siricutiquenta pra isso. Não consigo ficar com a mente quieta... Talvez com a idade isso venha, alias, meditar é isso, né?! Ficar quieta, mesmo, lá dentro da gente....

"Acho que não tem nada que a gente não consiga fazer". Típica frase clichê de final de ano, de motivação pro próximo ano, mas o que tem de verdadeiro nisso é simplesmente assustador. E não to falando de metas da Comgás, to falando de superações da vida da gente mesmo. De emagrecer, de correr, de acordar cedo, de aprender a comer salada, de parar de fumar, de tentar não falar palavrão, de se recuperar de uma doença... Quem nunca viu isso?!

"A barra subiu em todos os sentidos". Quem não quer mais e mais? Um carro mais novo, férias mais bacanas, menos % de gordura, falar melhor inglês, francês, alemão.... Correr mais rápido, gastar menos, ganhar mais... Tudo isso porque "a gente vive de desafio".

No meio disso tudo rolou "temos que olhar pro que conseguimos fazer". Bingo! Não sei os outros, mas eu adoro me apegar no que não deu certo.... Adoro pensar que poderia ter ido um pouquinho mais, ter dado mais de mim, ter me esforçado. Me cobro tanto... Por que não, só pra variar dar aquela relaxada?!

Vou tentar... Vou parar e pensar nas coisas boas de 2012.... E você, o que conseguiu fazer esse ano?!

sábado, 17 de dezembro de 2011

Comgases....

4:04 da manhã... Não, não é insônia, alias, to caindo de sono, mas tem coisas que se não faço na hora não faço nunca mais, porque perde o sentido, perde a razão de ser, perde a emoção boa que sentimos num segundo, e que se não registramos vai embora...

Acabei de chegar da festa da Comgás, mais uma dessas festas que eu ia dar uma passada e conclui de novo que sou realmente arroz de festa! Fico até o fim sim! Até a hora do pagode no caso de hoje... rs rs.... Festa é sempre festa, mas fico pensando se é normal ter tanta gente legal num lugar.

Sério, acho que na Comgás temos pessoas muito legais. Fico feliz de estar com essas pessoas de conviver com elas. Estar numa festa de final de ano, que é cansativo, que já estamos todos precisando de férias, mas mesmo assim todo mundo se diverte, e todo mundo dá aquela olhada nas roupas mais curtinhas, e rolam aquelas fofocas no dia seguinte.... Básico....

Enfim... Sai da festa com a Cris, Carol, Pedro e Marquinhos. Passei muito tempo com toda a turma, circulando em todas as áreas e me divertindo. Feliz por ter essas pessoas por perto!

Boa Noite! 4:08

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Tic tac, tic tac, tic tac...

Poderia ser a música da Madonna... Dá até pra pensar nela e mudar o foco do post, mas na boa, hoje eu passei um nervoso daqueeeeeles!

Marquei o PRIMEIRO horário de um exame pra não correr o risco de haver atraso em função de outros pacientes, depois desse primeiro exame eu seria examinada por outro médico.... Alguém consegue adivinhar o que aconteceu?! Exatos 37 minutos de atraso pra fazer um ultrasom nos olhos, que deve ter demorado uns 90 segundos... Tipo, será que a gente aqui no Brasil não podia ter só um pouquinho dos ingleses? A pontualidade?! Se marca horário porque não chega? Acho que daqui pra frente a gente tem que começar a ligar pro médico pra saber se ele vai atender a gente na hora e não a recepcionista ligar pra gente se a gente vai mesmo! Ahhhh.... Infernal!

Depois mais uns 15 minutos de espera pra consulta com o oftalmo.... Que me receitou um colírio e nem quis saber o grau do meu óculos! Quando eu questionei ele disse: "ah, mas você quer usar óculos?" Allllloooooouuuuu, eu já tinha ido nele, ele já tinha a minha ficha e já sabia que eu já usava óculos! Aí eu disse que eu sim queria usar, porque sim eu preciso de óculos! Aí ele falou "ah, mas você não quer usar lente?!" e eu disse "não", e ele "e você não pensa em operar?!" - apenas recaptulando ele não queria nem que eu usasse óculos e já queria me operar!!!! Well... depois do meu sonoro "não" ele viu meu grau: 0,75! E ele queria me operar! Que alegria... Fiquei tão P da vida! Atraso, papo furado, e ainda queria operar os meus olhinhos.

Saí do lugar umas 10:30 (consulta agendada pras 9:00), cheguei no trabalho às 11:15, porque quase não temos trânsito em SP.... E aí fui pro almoço de área... Aí reunião no Brás, trânsito de novo! Aí volta pra Vila Olímpia, mais trânsito.... Tá faltando tic tac no meu dia.... Mais tarde tem a festa da empresa... E eu assim, empaturrada do almoço, cansada do trânsito, mas vamos que vamos, afinal em 2012 as energias se renovam, né?! ;-)

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Addicted?!

Minha mãe sempre disse que a gente não pode reparar nos outros que vai ficando igual... Eu sempre achei que era praga pro meu lado... Mas to achando que essa teoria dela faz sentido... Sempre achei meio rídiculo esse povo viciado em IPhone... Até que eu comprei um e tipo assim, não é que não vivo sem, mas vivo muito melhor com ele... Aí começou o lance de neurose com o facebook... Ok, não consigo mais dormir sem antes dar aquela espiadinha, tipo BBB mesmo, sabe?! Hoje voltando pra casa me peguei ouvindo uma música dos Rolling Stones que eu sabia o nome, mas que gosto muito e por isso eu peguei meu super Iphone, cliquei no SoundHound, "descobri" qual era e dei um "share" no facebook! Deus, estaria eu uma viciada?!
Ps: Não, não sou eu nessa foto... Mas não resisti, nada como uma imagem de impacto!

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Máscaras...

... elas podiam ficar lá em Veneza, né?! Ou penduradas na parede do meu quarto pra lembrar os dias bacanas que estive por lá, com pessoas igualmente bacanas... Mas de resto, podemos nos livrar delas...

Várias vezes me pego pensando qual o motivo de não podermos ser nós mesmos, de não podermos "decepcionar" as pessoas dizendo a verdade. Por que queremos ou precisamos usar de artifícios para que as pessoas gostem da gente ou nos aceitem, ou até mesmo se aceitem, se provem.

Obvio que eu tenho isso, e to tentando tirar todas as máscaras possíveis. Sou dessas que se ouve "aiiii que saudade" não respondo "nossa eu também" a menos que eu efetivamente as sinta, e olha que eu sei lidar com saudade (vide post anterior), portanto é bem difícil eu ter saudade de alguém que está por perto na minha vida. Também tenho uma mania de querer ser simpática, de fingir que acho normal algumas pessoas gostarem mais de bicho do que de gente, tratarem melhor um gato ou um cachorro do que um velhinho na rua. Costumo escutar todas as histórias carentes que temos por aí, tenho dó mesmo, muito libriana nessa hora, mesmo querendo ficar quieta.... Mas seriam essas máscaras tão pesadas assim?! Espero que não.

O motivo desses pensamentos de hoje vieram em momentos de dia a dia... Coisas banais... Vaidosas... Números, sempre eles... Mulheres que mentem a altura, o peso e o % de gordura (ok, já fiz isso), mas hoje eu falo 1,57m que é bem diferente de 1,60. São 53 a 54 kgs dependendo da época do mês e o % de gordura está em 19%. Nossa, quase nua agora! Nunca me expus tanto rs rs. Os homens pelo que percebo adoram dizer que tomam muito mais bebida do que aguentam, que ganham muito mais do que efetivamente ganham, que já dormiram com milhares de mulheres, e obviamente que tem o maior membro do mundo rs rs, não resisti. Mas é bem coisa de homem, e me desculpe se eu estiver sendo bem machista... Ops!

Por que será que é tão difícil ser assim de verdade na vida inteira?! Hein????

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

How I wish, how I wish you were here... 13 anos sem meu pai...

Hoje é dia 09 de dezembro. Há 13 anos recebi uma das notícias mais difíceis da minha vida, meu pai havia sido morto. Tão simples, forte, fútil, e definitivo como isso. Desde então eu tive que escolher entre ser feliz ou ser triste. Viver a vida ou o sofrimento. Escolhi a vida.

Pra mim dia 09 de dezembro é o aniversário da Romi, é a vespera do aniversário da minha avó, é perto do Natal, e lógico que é um dia de se pensar, mas não se sofrer. De sentir saudades das coisas boas, e lembrar daqueles belos olhos verdes que ele tinha.

Há 13 anos que convivo com a ausência do meu pai, e por muitas vezes quis ficar no seu lugar, cuidar de tudo e de todos, e ser forte o tempo todo. Hoje eu olho pra trás e vejo que eu precisei ter aquela atitude. Hoje eu olho pra frente e sofro pelos momentos que não vou viver com ele...Ao menos fisicamente...

Hoje eu quero que seja um dia feliz. Feliz por eu ter tido um pai que merece e sempre merecerá muitas saudades, muita admiração e respeito aos valores que carrego hoje. E porque no fundo no fundo, quando me olho no espelho eu vejo um pedacinho dele, no cabelo, na cor da pele, nos dentes, no genio forte...

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Horário flexível pro trabalho

Adoro!
Hoje voltando pra casa estava ouvindo meu programa favorito de "volta pra casa" que se chama Eldorado Radio Blog na 107.3. O programa é bem bacana, tem músicas variadas e de bom gosto, tem dois apresentadores fofos, pregam "mais amor por favor" e sempre tem um tema de discussão, e geram com ele a interação entre a rádio e os ouvintes.
O tema de hoje foi esse, baseado no seguinte "Segundo um estudo publicado hoje na revista Journal of Health and Social Behavior, a saúde e o bem-estar dos adultos que passam boa parte de sua vida no trabalho, melhoram quando estes podem trabalhar em horários flexíveis."
Concordo plenamente. Se tem coisa que não posso reclamar do meu trabalho é a flexibilidade e a compreensão de todos com relação a isso. Acho que nunca eu precisei levar um atestado médico pra provar que eu estava realmente numa consulta e não dormindo até mais tarde. Também não me olham torto pelo fato de eu fazer mais de 1 hora de almoço (as vezes bem mais que isso) pra fazer minha academia querida. Alguém sabe o que é poder dar uma paradinha no meio do dia, fazer uma aula de corrida, tirar a cabeça do trabalho, tomar um banho, e voltar relaxada e com mais pique?! Eu seiiii!!!! Fazer o que nos faz bem só pode trazer bons resultados, não?!

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Saudades do meu bloguinho querido!

Bloqueio criativo pra escrever.... To mais quieta pra por pra fora, mas com aquela sensação de não conseguir dormir, sabe?! Chego ao final do dia cansaaaada... As vezes nem é preciso que ele termine... E ai ponho a cabeça no travesseiro e a dona cabeça começa a trabalhar loucamente...

Hoje foi assim... e o IPhone tem culpa disso, ou a minha falta de disciplina, porque eu não consigo dormir sem antes dar aquela olhadinha do fcb... Ai achei o blog da Tiemi (Picnic Lab), e ai fiquei com saudades do meu blog, e dos blogs que eu sigo... Resumo da ópera, levantei, acendi a luz e aqui estou... E só por hoje vou tentar não ficar nervosa por ter que acordar 5:40 amanhã.....

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

E mesmo com tudo diferente veio mesmo de repente umavontade de se ver

Ando muito com a idéia de que as diferenças são o máximo!Hoje estava no trânsito quando começou a tocar Eduardo e Mônica da Legião Urbana, que vou ser sincera que eu nem curto, mas acho que sim o Renato Russo mandava muito bem nas letras. O início da música é sensacional porque mostra como pessoas diferentes podem ser felizes juntas.

Eduardo e Mônica trocaram telefone, depois telefonaram
E decidiram se encontrar
O Eduardo sugeriu uma lanchonete
Mas a Mônica queria ver o filme do Godard
Se encontraram, então, no parque da cidade
A Mônica de moto e o Eduardo de camelo
O Eduardo achou estranho e melhor não comentar
Mas a menina tinha tinta no cabelo
Eduardo e Mônica eram nada parecidos
Ela era de leão e ele tinha dezesseis
Ela fazia medicina e falava alemão
E ele ainda nas aulinhas de inglês
Ela gostava do Bandeira e do Bauhaus        
De Van Gogh e dos Mutantes, de Caetano e de Rimbaud
E o Eduardo gostava de novela e jogava futebol de botão
com seu avô
Ela falava coisas sobre o planalto central, também
magia e meditação
E o Eduardo ainda estava no esquema
escola-cinema-clube-televisão
E mesmo com tudo diferente veio mesmo de repente umavontade de se ver

E aí ultrapassando os limites do relacionamento amoroso sempre fico pensando como as diferenças agregam em qualquer relacionamento.

No trabalho por exemplo: “Quando duas pessoas concordam, uma delas não é necessária”, não sei de quem é a frase, mas é sugestiva, a discussão é saudável, gera novos pontos de vista, sair da mesmice, dos padrões, só pra variar...

Em casa: quem nunca ficou sem empregada? Minha família várias  vezes ficou sem, e graças a Deus eu tenho uma irmã que prefere lavar a louça asecar. Só de pensar em lavar louça eu fico com nojo... Aqueles restinho de comida no prato, o ralinho cheio de coisa... Irgh! Em compensação adoro fazer uma arrumação, deixar tudo bonitinho, em ordem num padrão. E assim fica salva a harmonia do lar!

Nas amizades: já pensou se todo mundo tivesse sempre que ser certinho? Eu sou mais certinha, chatinha, bravinha... Felizmente tenho amigos mais leves, que mostram o lado suave da coisa, e que não adianta ficar se preocupando com o futuro... E que tudo vai dar certo, e que não precisa esperar o final, pode dar certo no meio do caminho, né Carol?!

Nos relacionamentos amorosos: além de Eduardo e Mônica,todas as histórias que escutamos de casamentos bem sucedidos “sempre tem que ceder”, porque as vontades são deferentes!

Enfim, tenho pensado muito em como as diferenças mostram o lado humano.

PS: Esse molequinho da foto não é diferente, mas apareceu na minha busca, e ele tem uns olhinhos tão sorridentes que não consegui não postar.

domingo, 20 de novembro de 2011

Cada um com seu cada um, ok?!

Não sei quantas vezes já me deparei com o querido feedback de que é preciso falar, é preciso se expor, é preciso aparecer, é preciso conversar, tem que ser assim, tem que ser assado... Que preguiça... Porque será que as pessoas que se mostram mais são mais valorizadas do que as que efetivamente fazem mais?!

Fico me perguntando por que alguns não conseguem entender o fato das pessoas serem diferentes, e serem igualmente bacanas, legais, profissionais, inteligentes, agregadoras, indispensáveis, mesmo sendo quietas, ou falantes, ou por falarem mais alto, ou mais baixo.

Fico querendo entender o motivo dessa mania de criar pessoinhas iguais, pra fazer as mesmas coisas, pra se relacionar com o mesmo público, com as mesmas idéias, com as mesmas vontades. O que é isso? Seria um medo do novo? Seria um medo de ficar pra trás? Seria uma prepotência absurda de achar que os outros devem ser iguais a gente ou a eles?? Admito que acho o meu jeito certo, do contrário não seria esse o meu jeito, mas toda vez que entro nessas neuras de achar que o mundo tem que ser igual a mim eu paro e me coloco no meu lugar de pessoa comum, de alguém que não é modelo pra ninguém e que simplesmente não pode querer que o mundo seja igual....

Encontrei essas duas imagens que me inspiraram nesse post, e obvio que muitas cenas do cotidiano ajudam pra isso... Começando pelos corpos magros - pra ficar só na parte fútil da coisa... O resto dá pra imaginar, né?!

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Os tapas na cara que recebemos de São Paulo...

Sim, sim, sim! Hoje me senti mais uma vez estapeada por São Paulo.
Não sei se a maioria das pessoas se sente assim, mas viver em São Paulo é cada vez mais sufocante. Ok, to no meio de um feriado prolongado, não viajei, não peguei trânsito - hoje - mas pra mim tá ficando cada vez mais impossível achar essa cidade justa.
Outro dia em uma conversa com a Tati ela falou isso, que São Paulo mostra pra gente que a gente não pode. Que São Paulo faz a gente se sentir de mãos atadas. Seja porque a gente fica preso no trânsito, seja porque temos que ficar atentos em tudo, porque temos que trancar todas as portas, porque temos que morar em prédios, ou em casa de condomínios... E o tapa na cara de hoje - de novo - foi o dos preços dos imóveis. Cara, não dá! Aqui em SP, pra você se enfiar - junto com o namorado, porque sozinha é mais impossível ainda - numa latinha de sardinha num bairro OK, eu disse Ok não disse de frente pro parque do Ibirapuera, você tem que estar disposto a pagar meio milhão de reais! Como se fosse suuuuper natural. Super fácil de juntar, ou super símples de pedir uma ajudinha pra família "ah, passa o chapéu pela família" diz a corretora! Aloooouuuuu!!!! QUINHENTOS MIL REAIS! Pra morar num ovo, e ter que pagar em 30 anos!
Aí a gente pensa que o estacionamento do restaurante é mais caro que a entrada do restaurante. Que uma caipirinha é mais cara que a garrafa inteira de vodka, enfim... Ai você analisa o lado do dono do restaurante e conclui que se ele não cobrar caro ele não paga o aluguel, e assim caminha a humanidade. Só que meu salário e o da maioria das pessoas que eu conheço não cresce nessa velocidade astronomica...
Muito triste pensar que vou ter que esperar mais, juntar mais, me esforçar, me privar... Ok, todo mundo faz isso, mas é muito capaz de eu fazer tudo isso, e os preços terem simplesmente dobrado, de novo... Porque é assim né...
Acho que quero ir pra NYC... Deve ser mais fácil por lá....

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Preguiça de....

  • Gente que fica conversando com o facebook como se aquilo fosse uma pessoa (!!!);
  • Alunos da USP e todos os protestos on line, contra ou a favor;
  • Programa Político;
  • Emails automáticos;
  • Trânsito que não anda;
  • Moradores de Moema reclamando da ciclofaixa;
  • Preços abusivos de São Paulo;
  • Aulas do MBA;
  • Os ministros da Dilma;
  • Falta de conteúdo de algumas pessoas;
  • Zezé di Camargo e Luciano se abraçando;
  • Neymar ficando no Santos;
  • O preço do m2 em São Paulo;
  • A falta de peito de muita gente, inclusive a minha;
  • A corrupção no Brasil;
  • A venda das pessoas (policiais escoltando traficantes)....
Ahhhhh....

Reclamona, né?! Ok, também posso ser chata....

sábado, 5 de novembro de 2011

O mundo é tão grande, né?!

E às vezes a gente fica nessas de ficar preso em coisas pequenas... Quando eu digo a gente eu quero dizer EU! Tenho uma amiga, ok não é que é amiiiiga, e nem que eu conheço ela demais, mas é uma pessoa que está participando da minha vida há uns 5 ou 6 anos.... Graças à DMB, mas essa história fica pra outro dia... Ela é a Alana. Linda... Morena, alta, magra... Meio insuportável, se não fosse uma fofa! Rs rs.
Enfim... A Alana está viajando pela Europa deve ter uns três meses, e ela sempre coloca pensamentos bacanas, fotos bonitas, comenta momentos da viagem, coisas boas, coisas bizarras, fotos lindas....
Hoje ela postou que foi a “Pizzeria da Michele”! Quem leu o livro Comer, Rezar e Amar sabe do que to falando. Não sei se no filme aparece isso, mas a Alana foi lá, e comeu a pizza! E ai eu fiquei pensando como as coisas são muito mais possíveis do que a gente pensa. Como dinheiro pra fazer esse tipo de viagem hoje é mais fácil que há 20 anos, e como é gostoso viajar.... Como é gostoso sair dessa rotina, conhecer outra forma de viver, se conhecer em outra situação....
Me falta coragem pra pegar todo dinheiro que eu demorei tanto pra juntar e viver isso... Me falta coragem pra me desapegar dele e simplesmente pensar que tudo vai dar certo. Me sobra o maledeto medo, igualzinho aquele da música do Lenine, um medo que puxa o outro, e que paralisa. Coisa chata de medo....
Enfim... Pensamentos soltos e com inveja da Alana pela coragem, pelo desapego, por estar lá sozinha sem medo de conhecer gente nova, e estar sozinha com ela, com ela e mais ela....

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Carta de Apresentação - Gabriela por Gabriela

Oi! Eu sou a Gabriela, libriana de 30 anos. Sou administradora de empresas, meia maratonista, de uma prova só, por enquanto, blogueira, meu novo hobby, irmã, filha, namorada, neta, subordinada, aluna, amiga, prima...
Gosto de discutir assuntos polêmicos, idéias, e não à toa o título do meu blog é “Devaneios”.  Mudo de idéia e não me culpo por isso. Me sinto muitíssimo bem depois de uma corrida e dou muito valor ao equilíbrio na minha vida. Invisto muito tempo na procura desse equilíbrio, característica bem libriana.
Sou a mais velha de três irmãos. Tenho uma mania absurda de achar que sou mãe deles, e me sinto responsável sim. Sofro sim, e sou capaz de ter um ataque se alguém fizer um dos dois sofrerem.
Meus pais me tiveram bem cedo, minha mãe tinha 23 e meu pai 26! Uns bebês cuidando de outro. Os valores que eles me passaram foram sempre fortes. Meu pai já foi eleito por alguns como o melhor pai que alguém poderia ter, e olha que não foram os filhos que falaram isso dele. Isso porque ele morreu em 1998, e não tem uma pessoa que tenha conhecido o Nilson Bernardino, ou o Nilson Preto que não o admirasse. Minha mãe também foi eleita por muitos e, dessa vez também pelos filhos, por ser uma pessoa muitíssimo guerreira. Viúva aos 40 anos com 3 filhos, fez tudo que podia e o que não podia pra continuar dando pra gente de tudo mesmo sem o meu pai por perto. Financeira e emocionalmente falando ela segurou essa onda praticamente sozinha por muito tempo.
Meus avós são outra parte do que sou. Sempre presentes, sempre modelos de atitude, simplicidade, companheirismo e luta. Lauro, Faustina, Dora e Sebastian. Muitas saudades do último, que foi uma das pessoas mais cultas e com menos possibilidades de estudo que conheci, de uma alegria e bom humor inigualáveis.
Não posso deixar de falar do resto da família que é uma piada! Uma delícia! Todo mundo meio louco, uns adoram um jogo de baralho, outros adoram um rock, outros moram em SP, outros lá no interior no MS, uns só falam de doenças, outros só pensam em churrasco e cerveja. Os casamentos são sempre gigantes, e não consigo fazer uma festa de aniversário sem juntar pelo menos 30 pessoas, só os de primeiro grau!!!! Cresci com meus primos passando férias na praia e no interior e fui criada também pelos meus tios, que sempre estiveram por perto.
Adoro praia, e me sinto muito melhor morena. Me olho no espelho e me reconheço muito mais quando estou nega, parecendo uma índia, e mostrando minhas raízes. Também gosto muito de viajar e por muito tempo todas as férias (depois que comecei a trabalhar) necessariamente tinham uma boa viagem programada. Tenho a felicidade de conhecer muitos países, mas por mim voltaria a todos eles com mais tempo, pra viver a vida de cada um dos lugares escolhidos.
Gosto de comer. Do luxo ao lixo como costumo dizer. Adoro meu papaya com granola, tomo a água morna que a minha tia Clara ensinou e também adoro me afundar num balde de pipoca bem melecado de manteiga. Gosto de tomar capuccino na Kopenhaggen com a minha mãe, a Rafa e o Fê. Muito mais pela experiência do que pelo café em si....
Sou namorada de um namorado que me entende como poucos. Estamos juntos há mais de 2 anos, e por esse tempo os sorrisos sempre foram muito mais freqüentes que as brigas.
Hoje sou muito menos forte do que antes. Hoje me permito chorar tudo que não chorei quando achava que eu tinha que segurar a onda em função da ausência do meu pai. Hoje eu sou muito mais humana que aos 20.
Também sou muito mais mulherzinha, me arrumo mais, e é quase impossível sair sem um blush, a menos que eu esteja no meu estado “índia”, aí eu não preciso, sem protetor solar?! Nunca!!! Tento dizer todos os “nãos” que eu quero, mas ainda é difícil pra mim!
Sou uma pessoa indignada.  Não aceito qualquer coisa, não gosto de gente que trata mal as outras por não serem da mesma classe social. Não acho normal uma pessoa se achar melhor por ela ter mais “poder” que o outro. Que poder?! Não consigo e não quero conseguir aceitar esse tipo de baixeza espiritual.
Aproveitando o bonde fui batizada, fiz primeira comunhão, e aprendi a rezar o Pai Nosso e a Ave Maria antes de dormir. Minhas avós que foram responsáveis por essa tarefa. Depois me encontrei no espiritismo e hoje eu procuro estar bem independente da religião. Acho que todas agregam alguma coisa e fazem o bem, ou quase todas.
Tenho mania de juntar os amigos e mantenho contato por muito tempo com pessoas que eu considero que valem à pena e pessoas que também acham que eu valho à pena. Amizade como qualquer outro tipo de relacionamento tem que ser mútuo, e posso dizer feliz que sim, sou cercada por pessoas que gostam de mim, e sei que se eu cair vou ter ajuda pra levantar.
Gosto de boa música. Sim boa música, e isso claro que é uma coisa que eu defino e mudo aos poucos minha playlist... Os clássicos continuam como Pink Floyd, Eric Clapton, Elis Regina, Bom Jovi (eu tenho 30 anos!!), U2.... Sem contar os shows, foram tantos na minha vida, e espero que continuem, apesar de hoje eu estar mais seletiva... Os 30 anos de novo!
Quando leio tenho dó de acabar o livro. É como se eu estive perdendo um pedacinho do que foi a minha vida no período em que li. E os filmes... Passei da fase dos “água com açúcar”, gosto de coisas leves, mas principalmente gosto daqueles que me fazem pensar, que me mudam de alguma forma.
Brigo, brigo, brigo. Tenho o gênio forte e sou facilmente irritável. Meio tolerância zero. Só que meu lado libriano muito social joga tudo isso pra dentro de mim. Ai eu sofro de gastrite, agora a moda é a enxaqueca. Ai eu brigo de novo, comigo mesma porque não posso me deixar envolver tanto assim. Rs rs. Engraçado até, né?!
Também falo horrores, deu pra notar?!
Isso é o que eu gostaria de escrever numa dessas Cartas de Apresentação que a gente vê por aí. Acho que as pessoas e suas experiências de vida são muito mais importantes do que a faculdade cursada, ou do quão fluente se fala outra língua. O que vocês acham?!

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Celebração da Morte...


"Hoje é dia de finados.
Que esse dia, um dia, se torne dia de celebração:
por ter morrido minha prepotência,
meu comodismo,
meus vícios de linguagem;
o medo que paralisa,
as relações demasiadamente mornas
e toda auto-sabotagem."
                                                     
                                                       Por Carmem Livia Parise

Pra gente ver como esse dia pode ser um dia de renascimento.

A Lili é essa coisa linda ao lado, muito querida, casada com um amigo também querido, o Fred, que trabalha comigo. Não temos muito contato, mas felizmente o facebook me deixa perto dos seus pensamentos lindos, sutis, intensos, marcantes, etc.... É impressionante como me identifico com ela!

Que esse sorrisão traga a alegria e esperança para aqueles que hoje ficaram tristes.

terça-feira, 1 de novembro de 2011

"Medo que dá medo do medo que dá...." - Empreendedorismo

Hoje mesmo (escrevi esse texto outro dia) eu estava lendo um blog que estou seguindo, o da Paula Carneiro, que está lindo aliás... Aí vi um post sobre a loja da minha amiga da FAAP Mariana e da irmã dela Renata...

Toda vez que passo pela Athílio Innocenti dou uma olhadinha pra dentro daquela loja a Dolce Casa e fico pensando em como deve ser a vida fazendo algo que você realmente gosta. Cuidando de algo que realmente é seu.... E convivendo com a incerteza (acho que esse é um problema meu mesmo) de que tudo dará certo.

A gente nunca tem certeza de que tudo vai dar certo....Aliás a única certeza é a morte, masssss, vai saber quando isso vai acontecer, e eu nessas tenho o meu emprego fixo, que tem um plano de aposentadoria bacana, que garante minhas férias e meu décimo terceiro, que tem oportunidades cada vez mais restritas - natural na subida dos degraus - mas que me proporciona uma segurança....

Não sei quantas vezes na vida eu parei pra pensar nisso, só sei que admiro quem tem coragem, perseverança, e que acredita que tudo vai dar certo, porque no fundo o universo conspira mesmo ao nosso favor, I hope!


É isso! Pros meus amigos empreendedores, Mariana, Sibele, Rogério, Ivan, Danilo... Parabéns pra vocês que encontraram o que fazem vocês felizes! E parabéns pelo "não medo" de mergulhar num mundo novo e serem mais felizes e realizados que as pessoas medrosas e talvez perdidas que nem eu....

Ah, e já que estou dando parabéns, justamente HOJE é aniversário da Mariana, citada nesse texto! Super parabéns!

Alias, aproveitando pra mostrar uns produtos da Dolce Casa, tem coisas lindas pra casa, masssss, essas coisas de criança me matam! Hehehe...

domingo, 30 de outubro de 2011

Coração apertado

Mais um sonho que me deixa maluca... Mais um sonho me mostrando como eu estou frágil em relação a N coisas da minha vida... Como eu me deixo envolver por problemas que não são diretamente meus, e como eu sofro com isso...
Dessa vez um bebê... Era uma menina... Era minha, mas ela não estava comigo logo após o nascimento, e eu também não tinha feito uma cesárea, ou estava com dores, ou internada... Também não tinha barriga de quem acabara de dar a luz e nem peito com leite... Mas estava esperando a minha menininha pra cuidar dela.... Eu numa cidade ou bairro ou sei lá, e ela em outro.... Até que a minha mãe me liga e diz que ela tá mal.... Que já tinha tido 6 infecções, mas que o medico disse que era normal... Que o pulmão estava fraco... E eu sentia a dor de uma mãe que sabe que o filho está passando por problemas, mas que está longe, e que não há que se possa fazer a não ser cuidar na medida do possível, quando ele vier até mim.
Acordei angustiada, e já percebi o obvio desse sonho. Estou triste, sinto dores de estomago, e uma angústia de quem simplesmente não pode fazer nada... Porque a distância física desse sonho me mostra a barreira que parece um muro que eu enfrento quando estou acordada.... E que por mais que eu tente não consigo escalar, ou quebrar....
Ai que difícil.... Hoje eu to bem triste....

Bike Anjo




Eu viajo horrores, todo mundo que lê esse blog sabe... E eu jáestava na cabeça falar sobre esse projeto de um amigo do namorado, que hoje é meu amigo também, e alguém que eu admiro ainda mais...

Pra escrever esse texto lá fui eu entrar e pesquisar no sitedo projeto Bike Anjo e descobri algumas coisas... O Sr. JP Amaral, foi um vencedores do programa BayerJovens Embaixadores Ambientais 2011!!

Resumidamente o projeto bike anjo ajuda a galera que quer começar a andar de bike, mas não sabe como... Eu imagino que muita gente, assim como eu nem tem uma em casa, não sabe como comprar e entra em pânico só depensar em passar ao lado de um carro, e imagine só, um ônibus!!!! Enfim, anjos desse programa ajudam as pessoas que querem andar de bike a aprender técnicas de seguranças, rotas mais tranquilas, dicas, equipamentos, enfim.... O que é preciso pra setornar um ciclista nessa cidade maluca em que moramos - aqui me limitando a Sampa.

Esse projeto foi crescendo, crescendo, e está em várias cidades do país! Muito legal, né?! A idéia do JP (eu entendi que a idéia é dele e dos amigos) foi parar na Alemanha!!! E pra não correr o risco de falar algumacoisa errada, vou deixar aqui o link pra vocês acessarem o site!

Bike Anjo

Agora, indo pra minha parte de Devaneios... Olha que lindo isso que o JP escreveu no post contando sobre a viagem à Alemanha “O mais empolgante é pensar que foi a bicicleta que me proporcionou tudo isso. Foi ela que me trouxe amigos tão verdadeiros e prestativos, uma mulher incrível, histórias de arrepiar, o apoio de tantos para construir o projeto Bike Anjo eagora essa oportunidade única… Mais do que esse título de Jovem EmbaixadorAmbiental, quero ir para essa viagem pensando em nós e todos aqueles que têm buscado uma cidade melhor de uma maneira tão simples: pedalando…” Ou seja, olha que pequena coisa, que pequena felicidade pode transformar a vidade alguém!

Adoro isso!

Vamos divulgar!!!!

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Melhores momentos da minha insônia de ontem...

Já que não conseguia dormir peguei uma revista e tive a felicidade de ler uma entrevista com a Miriam Goldenberg, 54 anos, antropóloga, autora de vários livros. A revista é a TPM, e os melhores trechos - difíceis de serem escolhidos pra isso não ficar uma cópia da entrevista - estão abaixo:

“O que mais me intriga é a questão do poder. Quero entender o que falta para nós, brasileiras, sentirmos o poder que temos. Porque a mulher já tem o poder objetivo: no trabalho, em casa, tem independência financeira. Mas sente uma miséria subjetiva, um vitimismo.”
Falando sobre as alemãs “Gosto desse jeito firme de ser mulher. E dá pra continuar sendo feminina, delicada, suave como é a brasileira”.
“A sociedade está introjetada na mulher. A antropologia ajuda a compreender que o que você pensa ser um fracasso individual na verdade é um problema coletivo, cultural (...) Às vezes a gente acha que está fazendo uma escolha, mas é a cultura dentro de nós escolhendo. Quando dá um clique, você começa a fazer escolhas dentro do que a cultura oferece. E hoje, na cultura brasileira, as mulheres já têm mais poder de escolha.”
Não sou 100% feliz, tenho uma tristeza permanente. Mas até agradeço essa tristeza, porque consegui, apesar disso – ou por causa disso -, ter a vida que escolhi (....) É uma tristeza crônica, mas que não atrapalha a minha vida porque não sou deprimida (...) Acredito que essa tristeza me alimenta pra ser quem eu sou, para ter a sensibilidade pra escrever o que escrevo. Sei que vai passar. E, ao mesmo tempo, sei que nunca vai passar. Aprendi a conviver com isso (...) Prefiro viver de verdade, mesmo que seja duro, do que tapar ou mentir.”
Quando comentava que os homens dizem que as mulheres precisam ser mais leves: “O que é ser leve? Lógico que quero rir mais, quero ser mais feliz, me divertir, quero uma relação gostosa, sem brigas. Se isso é ser leve, ótimo. Mas se ser leve é aquela pessoa sempre sorridente, que não desafia, que não quer uma relação instigante, aí nunca vou ser leve
“Às vezes penso como deve ser gostoso não ter que o tempo todo ter idéias inteligentes. Gosto muito de fazer o que eu faço, mas é como se nunca relaxasse.”
“Já as mulheres que pesquiso invejam nos homens principalmente a liberdade e fazer xixi de pé (risos). E, quando perguntei para os homens o que invejam nas mulheres, eles disseram: ‘Nada’.”
“O mais importante para mim, em qualquer tipo de relação é o respeito. Muita gente se torna o seu pior num casamento. Vejo muito casal com aquelas provocações, picuinhas. Vai aumentando e eles nem percebem.”
“Meu ideal dialético: é a junção da liberdade da Simone de Beauvoir com a felicidade da Leila Diniz. Mas já sei que só posso ser inteira a Miriam Goldenberg


quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Correr, correr, correr...

Que delícia! Sério que tem gente que me acha louca.... Mas vamos pelo começo....
O esporte tentou entrar cedo na minha vida, e entrou, meio que forçada, mas entrou. Meu pai sempre incentivou, porque ele sempre gostou, nadava horrores, e mesmo com seus longos 1,73m jogava basquete e fazia sucesso na grande Santo Anastácio.
Quando pequena era sócia do São Paulo Futebol Clube. Minha mãe tentou me colocar no balé, mas eu lembro que eu e a Rafa fizemos um pequeno escândalo e não entramos na aula... Hahahaha. Durante a minha infância fui muito tímida e sempre preferia ficar na zona de segurança e não me expor a nada e nem a ninguém, a menos que fosse obrigada. Aí vieram as aulas de natação,  me lembro do meu avô indo levar a gente com a pranchinha vestindo roupão. As aulas só aconteciam no verão porque não tinha piscina aquecida... 30 anos né povo.... Aí foram aulas de tênis, eu não curtia muito não... Massss eis que meu pai descobriu que iríamos pra Manaus, aí saber nadar de verdade era uma questão de sobrevivência. E fomos pra Soft ali na Athilio Inocenti. Lembro como a gente morria de cansaço e lá aprendemos as técnicas... Direitinho... Tipo aquela do nado de costas “sai dedão, vira, entra dedinho”, até hoje olho as pessoas nadando pra ver se elas espirram muita água pra fora.... Que saudades disso tudo, nem eu lembrava que tudo isso tinha acontecido.
Depois de mais velha entrou a corrida na minha vida, e quem me levou a ela foi a dona Tatiana! Eu muito empolgada topei treinar pra uma meia maratona, tipo coisa de gente louca que nunca tinha corrido 5km. E fomos as duas pra nossa entrevista na MPR. Lembro com detalhes da gente falando com o Marcos Paulo e conhecendo o Emerson.
Treinando corrida eu tive dores por uns 6 meses, cada hora num lugar... Gelo no joelho, ressonância magnética na coluna... De um tudo... O Emerson sempre com a maior paciência do mundo comigo. Até que finalmente eu entrei no eixo e completei a minha prova!Em julho de 2009 no RJ, sozinha, ou melhor, muito bem acompanhada de mim mesma, terminando aquela meia maratona com 9 minutos a menos do que a minha “estratégia de prova”....
Aí “ferrote”, né?! Uma coisa que apareceu na minha vida só pra emagrecer (sempre fui meio fissurada nisso) é hoje uma das minhas pequenas ou grandes felicidades do dia! Pensei nesse post hoje enquanto fazia minha aula de esteira - estou longe da MPR enquanto não termino meu MBA.
Hoje em dia sou dessas pessoas que acredita mesmo que o esporte pode salvar uma pessoa. E não vou nem entrar em méritos científicos, porque isso faz bem e pronto, e quem duvidar que dê um Google....  
Não consigo mais pensar em mim sem esportes, sem a sensação maravilhosa que sinto depois que termino uma corrida, a questão de me vencer a cada dia, de me perceber a cada treino, da harmonia que acontece dentro de mim....  Enfim... Post totalmente meu, pra mim, pras minhas lembranças e pra quem gosta de correr.... Porque eu posso dizer hoje, que o bichinho da corrida me pegou... Demorou, mas ele conseguiu e eu me entreguei! Que boa coisa!

Links bacanas:

Precisando de corda....

Estava no sofá tomando um Bailey´s pra relaxar, com a TV ligada, mas pensando como o dia foi cansativo. Comecei às 6h da matina, fui pro inglês, fui pro trabalho, fiz trabalho do MBA, fui pra FGV e fiquei morta....
Aí fiquei pensando quantos milhões de brasileiros tem uma rotina mais, muito mais cansativa que a minha.

Agora to aqui na minha cama escrevendo isso (sem chance de ligar o computador e fazer esse post agora) e bebericando o final do meu creme de uísque importado, que comprei mais barato porque uma amiga passou no freeshop. Obvio que me culpei por reclamar da vida.
To sentindo quase pifando. Cansada mesmo, fisicamente, mentalmente. Troco as palavras – já cheguei a pensar que estou virando disléxica – tenho dormido mal, stress... Prova, trabalho, trânsito, academia que eu amo, mas que me consome as energias sim... E agora escrevendo e pensando nas minhas condições de trabalho excelentes – no máximo um ar condicionado forte demais – o trânsito no meu carro mais velho, mas automático, completinho, e a aula onde? Na FGV, uma das melhores escolas do Brasil... Pode uma pessoa nessas condições reclamar?
Pode, né?! Alguém me diz que pode please?! Às vésperas do final do MBA, no final do ano, me sinto no final das forças nesse fim de dia.
Agora vou só me respeitar e dormir na minha cama gostosa, agradecer a Deus pelo dia e por tudo isso que escrevi acima e descansar porque amanhã tem mais.
Escrito em 25/10/11 quase meia noite....

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Já viram essa?!

Antes de eu pensar em escrever eu sempre lia vários blogs e me identificava muito com várias pessoas... Tati Bernardi é uma delas. Não sei bem se ela escreve dela mesma ou se é um personagem (eu acho que não, até porque um amigo meu tem ela como amiga), enfim, fato é que sempre me identifiquei com ela no quesito "estar sozinha querendo um amor"... Ela tem textos ótimos, e as vezes dá vontade de escrever que nem ela, mas aí seria uma cópia provavelmente fracassada do trabalho dela... Aliás ela trabalha mesmo com isso, ela escreve mesmo, não é um hobby que nem eu.... Felizmente agora eu não me identifico mais com esses lances de estar sozinha. Já faz mais de dois anos que encontrei o Rê e a vida certamente tem mais alegrias.
Acho impressionante como o tema amor está em todos os lados! Essa fotinho aí está pelo facebook agora.... Mas esse tema está em todos os lugares que eu vou! Restaurante, academia, banheiro da academia então.... Msn, communicator, e-mail, mesa de bar... Se tiver várias mulheres juntas então...
Não quero ficar aqui divagando sobre o amor, ou a falta do amor, mas sim sobre o lance de ter muita gente bacana, que tem exatamente o mesmo tipo percepção. Já repararam?! Tenho certeza que tem textos que todos se identificam... Todo mundo tem um pouquinho de dificuldade de falar não, todo mundo tem uma vontadezinha de ficar mais magra, todo mundo queria ganhar mais, ou viajar mais... Todo mundo faz promessas de ano novo.... Sempre tem alguém na fase mochilão e alguém na fase "resort".... Tem as fases de balada e tem as fases de barzinho, de jantar em casa.... E vamos passando por elas...
Eu to na fase "não sei se caso ou se compro uma bicicleta", rs rs... Coisas que chegaram junto com os meus 30 anos... Ter uma casa própria, ter óvulos saudáveis, fazer uma festa de casamento ou comprar um apê, ter grana pra bancar tudo isso.... Ahhhhhh.... Certeza que tem gente de mais de 30 e de menos de 30 que está passando por isso... Assim como logo mais eu vou estar em alguma outra crise me identificando com um outro grupo de pessoas, e assim caminha a humanidade....
A única certeza é que tudo isso sempre vai mudar....
A outra certeza é que o milagre vai acontecer, porque como eu disse, somos pessoas legais e do bem, e qual é chance de ficarmos sozinhas num apartamento gigante cheio de bichos?! Acho pouco provável, se isso acontecer será por escolha própria, certezaaaa!
Amigas (poucos homens passam por aqui), todo mundo namora, e termina, todo mundo casa, alguns separam, aí casam de novo, e tem filhos, já vi de um tudo, e já vi todo mundo caindo e sempre todo mundo, felizmente, levantando!
Vamos que vamos!

domingo, 23 de outubro de 2011

Ahhhh o Sol!

Obrigada universo pelo final de semana maravilhosamente ensolarado que tivemos em São Paulo! Eu não sei exatamente o motivo, mas eu fico muitíssimo mais feliz com o sol. Não importa se tá frio ou se tá calor, o sol me anima! Fico mais feliz mesmo, e não importa se estou trabalhando ou se estou de férias... Sempre, em qualquer circunstância eu prefiro céu azul e sol! Sempre, sempre, sempre!
Aí fui atrás de motivos científicos pra ver se algo explica essa felicidade maior com o nosso astro rei... Olha o que eu descobri:
Ponte Estaiada
A exposição à luz do sol estimula a produção de serotonina, dopamina e melatonina, trocando em miúdos, isso quer dizer que o sol tem impacto no bom humor, energia (inclusive sexual) e regulação do ciclo do sono;
Os dias mais longos trazem benefícios psicológicos pra gente, porque queremos sair mais, interagir, enfim, aproveitar a vida, por isso é comum pessoas que moram em áreas tropicais serem mais bem humoradas e terem mais energia;
A luz do sol estimula a produção de vitamina D, deve ser bom pra alguma coisa específica, mas não sei o que é... Vitamina é sempre bom! 
Mas pra gente não ficar em pânico quando o sol estiver escondido, diz também nessa reportagem que atividades físicas e o consumo de vegetais e alimentos integrais ajudam na regulagem desses vários hormônios.
Pracinha no Brooklin (Berrini com Pe. Antonio)
Enquanto isso, agradeço o dia de sol de hoje, espero o dia de sol de amanha, e fecho com essas fotos que tirei hoje enquanto ia almoçar na casa do namorado.
Boa semana a todos!
Fonte da Informação: Influencia do clima no humor

sábado, 22 de outubro de 2011

Vestida de presente

Uma das muitas coisas que a gente ganha com o passar dos anos: presente de aniversário!
Eu sempre amei as cartinhas, tenho todas guardadas, mesmo que sejam apenas em post it...
Hoje eu fiquei feliz porque saí vestida de presente, não é legal?! Estava indo trocar um outro presente, alias, liquidação na Alcaçuz, e tem uma modelagem maravilhosamente maior que a média o que me fez entrar em vestidos PP! Sim, P + P!!!! E alguns ficaram grandes! Obrigada Reebok, obrigada Cris pela companhia, obrigada minha disciplina, obrigada Dr. Renato Furtado, obrigada Carine pela dica... Obrigadaaaa!!!!
Enfim... O objetivo desse blog não é falar sobre moda... Deixo a Bia do achados da Bia e a Carol Rayel, as duas ai do ladinho, falarem tecnicamente sobre o assunto, mas olha como eu estava bonitinha hoje... Minha mãe que tirou essa foto, daquelas sem querer, enquanto a gente se mexe e foi a que eu mais gostei... Parafraseando o Luis, parece que estou sapateando.
Camiseta: Basthianna – loja carioca – presente do Luis Ferlante
Jeans: Diesel – presente de mim pra mim hehehehe
Sapatilha: Donna Dorf – presente da Cida
Carteirinha: Acessorize - presente da Pati Yamada
Correntinha com pingente: de outros verões, mas presente de 15 anos do Daniel Andrade e família + pingente de Murano da Luana.
Grazie pelo visual pessoas!!!!

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

O óculos cor de rosa da dona Globo

O que passa com a Globo, posso saber? To aqui em casa no computador no sofá da sala, conversando com a minha mãe e vendo novela... Cara, só tem gente bonita nessas novelas... Só! Tipo assim....

Na das 18h tem o mocinho que foi pai por acidente, Rafael Cardoso, e descobriu sem querer e agora cuida da filhinha enquanto a mãe, outra linda Fernanda Vasconcelos está em coma. Tem a piriguete Regiane Alves. Tem os caras mais velhos que estão sempre bem apanhados, até o Stenio Garcia parece que tá mais bonito. Parte da novela acontece em Gramado, em casas fofas, com mesas de café da tarde cheias de pães, doces e bolos.

Ai vamos pra novela das 19h, nem sei o nome, mas tem um moço tão bonito, o Victor Pecorato, que me inspirou a escrever esse texto. Porque não é que as pessoas são bonitas, o cenário é bonito, as casas tem detalhes de decoração que aqui em casa eu nem vejo... E tantas outras pessoas lindas...

Agora o top top mesmo é a novela das 21h. Chama Fina Estampa, ai já dá pra imaginar que é chique o negócio.... Vai de Cristiane Torlone linda e magra, passa pelo Dalton Vigh marido da Torlone... Tem a Carolina Dieckman que está uma deusa, magra, loira, linda e sempre de lingeries muito sexies, algumas by the way, são dan lougerie, há, passei por lá na megaliquidação! Calma.... Tem o namorado dela que é outro gato Dudu Azevedo, que é lutador, ou seja, corpaço.... Ai tem o Malvino Salvador, lindo como sempre.... Tem o Caio Castro... Tem a tímida Tânia Kallil que aparece atrás de um óculos que a deixa meio sem graça....Sophie Charlote que tem a sorte de na vida real namorar o Malvino Salvador, enquanto na novela pega outro gato Marco Pigossi. Nao esquecendo da Lilia Cabral que tá vivendo o "Pereirão" mas certeza que vai terminar como uma lady.... Tem a hipponga Totia Meirelles, aquela negra linda Cris Vianna, o Carlos Casagrande, Luma Costa, Monique Alfradique.... Tive que entrar no site pra ver o nome desse povo todo porque obvio que não sei tudo isso, e nem vejo muito a novela.... Se quiserem ver: Elenco Fina Estampa

Agora, a doce surpresa veio diretamente da terrinha! Gente, o português Paulo Rocha é um colírio para os olhos das meninas.... Jesus, que homem bonito! E ainda apaixonado pelo "Pereirão".... É todo fofo....

É isso... Tudo pra dizer que a vida vista pelas novelas da Globo tem outra cara... Tem cara de fartura, tem caras lindas, corpos magros e sarados, e uma elegância.... Se o Brasil fosse 10% assim tava ótimo, né?!  

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Me mudando....

Mudanças... Onde será que elas estão?! Acho que muito mais dentro da gente do que fora, será?!
Estou mudando de área no trabalho... Na prática mudei minha mesa uns 3 metros (se for), vou trabalhar com gente que já convivo e já gosto, vou conhecer tantas outras pessoas.... Mas hoje fazendo a minha mudança (física) de uma mesa para outra carreguei só as minhas coisas... Duas fotos com as meninas, minhas comidinhas, cartões de visita, cadernos... E de novo pendurei uma foto linda que eu tenho do RJ, essa aí, nao sei como achei no Google Imagens assim tão fácil... Esta foto estava num catálogo gigante que eu ia jogar fora, e quando vi simplesmente me apaixonei e recortei... Por muito tempo fiquei lá olhando diariamente pra ela.
Ao pendurar essa foto de novo senti como se ela fosse um símbolo de uma felicidade que estava literalmente guardada dentro da minha última gaveta. Estranho, né?! Lá está o RJ em tons amarelos de final de tarde pra me inspirar, me lembrar que a vida é muito mais ampla que o escritório, que o sol quentinho me faz bem, que naquela cidade corri uma meia maratona e vou sim correr outras mais, porque eu posso e vou conseguir, que tenho amigos maravilhosos lá... Aqui também, mas é o símbolo.... É o bafinho do  mar... É o jeito desencanado, é a beleza natural, é uma leveza....
Espero que os sentimentos cariocas povoem mais essa minha vida paulistana!