Marcadores

Da Gabi (161) Dos queridos (54) Amor (48) Por aí (35) Família (29) Dicas (28) Comidas (18) Viagem (16) Chatices (15) Esportes (13) Trabalho (12) Livros (9) Música (9) Crianças (5) Sampa (3) Filmes (2) Moda (2) PequenasFelicidades (1)

Instagram

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

"Não importa o que fizeram com você. O que importa é o que você faz com aquilo que fizeram com você"

Frase de Jean Paul Sartre citada hoje na aula do MBA. Módulo de Negociação e Gerenciamento de Conflitos do professor Geraldo.

domingo, 28 de agosto de 2011

“Só levo a certeza, de que muito pouco sei, eu nada sei” - Almir Sater 1

Ontem eu fui ao show do Almir Sater, que pouca gente da minha galera conhece, mas pra quem viu Pantanal, lá estava ele, em Ana Raio e Zé Trovão, e em o Rei do Gado, que está reprisando agora, ele é o Pirilampo.
O cara é um mato-grossense calmo, simpático, simples.... Ele canta com uma paz, toca com uma naturalidade aqueles montes de violas e compõe junto com alguns parceiros músicas que me fazem tão bem, e me fazem pensar em como a vida poderia ser simples, e como ela de fato é....
Acho que vou conseguir escrever muitos posts só com algumas musicas que mexeram (sempre) muito comigo. Essa que tá aí é Tocando em Frente, que muita gente já ouviu na voz da Bethânia, mas é dele e do Renato Teixeira. A música é lindíssima, mas os trechos favoritos pra mim além do título desse post são:
“É preciso amor
Pra poder pulsar
É preciso paz pra poder sorrir
É preciso a chuva para florir
Penso que cumprir a vida
Seja simplesmente
Compreender a marcha
E ir tocando em frente”

Às vezes a gente acha que as coisas vem do nada... Mas é tão simples quanto a chuva para florir... Nada vem de graça e esse cara lá do meio do mato, que mora no Pantanal, para e escreve isso, e quem tem sensibilidade percebe como isso tá em tudo na nossa vida!

Pela longa estrada, eu vou
Estrada eu sou
Conhecer as manhas
E as manhãs
O sabor das massas
E das maçãs"

Estrada eu sou... Como eu me defini nesse blog, sendo moldada a cada dia....

“Todo mundo ama um dia,
Todo mundo chora
Um dia a gente chega
E no outro vai embora”

Mais vida, vida, vida como ela é....

“Cada um de nós compõe a sua história
Cada ser em si
Carrega o dom de ser capaz
E ser feliz”

Não consigo nem comentar isso... Porque é muito lindo pra eu falar qualquer coisa a respeito. Se eu pudesse, eu gostaria de passar horas conversando com o Almir Sater, e se dependender de mim vou a todos os próximos shows que ele fizer em SP – sempre entre agosto e setembro e só unzinho!

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Ah, as amigas....

Hoje foi dia de encontro com as amigas. Amigas do trabalho, legal, né?! Eu sou uma pessoa de sorte, muita sorte, porque no trabalho eu conheci pessoas incríveis e hoje passei momentos agradáveis de muita felicidade, vide o blog citado abaixo.
Carol Alves, a pessoa mais sossegada do Brasil. Inteligente, fofa, sensível, uma pessoa que faz falta no meu dia a dia, e que fez companhia por quase 5 anos todos os dias úteis. Hoje ela não está mais na Comgás, mas vai estar pra sempre comigo, até porque sempre me confundem com ela, até hoje! Ontem o Fabio me chamou de Carol (!!) outro dia o Ferreira também (!!).
Marrrrrrcia! O que eu posso dizer desse mulherão super alto astral? Que tem pique pra tudo  mais um pouco?! Que me ensinou tanto quando entrei na Comgás e que sempre surge com uma pérola ou outra pra alegrar a minha semana. Sempre que batemos um papinho ali na água sai risada! Fato!
E a Cris, a mãe do Gui, mais nova, não tão nova assim integrante da tchurma. Essa agora é a que mais está comigo. No projeto das pequenas felicidades, no café do dia a dia, na academia em cada momento de superação, na divisão do prato na trila do trigo, nas choradeiras e angústias que a vida às vezes traz pra gente....
E claro que não posso me esquecer da outra Cris, a que mora com a Carol, que também é uma fofa, e só pelo fato de ser amiga da Carol já tem muitos pontos, que se juntou a nós no final da noite e trouxe um termo que nunca tinha ouvido falar “pomba sem asas”, alguém já ouviu isso?! E depois até fez um super comentário sobre o risco de comprar um apê sem ter alugado um antes, e ela nem trabalha em finanças.... Quase foi contratada ali mesmo pela Marrrrcia! Hehehehehehe.
Passamos algumas horas hoje na casa nova da Carol – lindinha aliás!!!! Conversamos, demos risadas, colocamos o papo em dia! É isso que a gente leva da vida, a vida que a gente leva! E são essas pessoas que fazem a nossa vida ser mais feliz, e fazer sentido!
Meninas, adoro vocês e agradeço ao universo por ter vocês por perto sempre que eu precisar!
Muitos beijos da Gabiroba!
Ps: demais amigas, que são muitas felizmente, vms nos ver e vcs vão ganhar posts tb!
Ps2: isso tá ficando chato, mas é que pra comentar (e eu fico feliz qdo vcs comentam) tem que clicar primeiro em visualizar e depois colocar as letrinhas embaralhadas... =)

Acessem também: As Pequenas Felicidades

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Irmãos.... No meu caso só caçulas.... E uma grande paixão!

Ontem nasceu o Henrique filho do meu chefe. Ele tem outras duas filhas, a Mari e a Carol, acho que com 8 e 5 anos respectivamente. Lembro da cara dele contando que a Fernanda estava grávida, e lembro da felicidade das mulheres da área... E lembro mais ainda da minha sensação naquela hora, porque me coloquei no lugar da Mari e da Carol.
Eu tenho uma irmâ, a Rafa que tem 1 ano e 3 meses de diferença de mim, então não tenho lembranças dela bebê, só sei que eu sempre fui considerada a “grande” a “mais velha” e portanto mais responsável, e a Rafa por consequência mais nenenzinha, mais manhosinha, mais fofinha, eu sempre fui uma mini adulta... Aí um belo dia estávamos em Itapeva na casa de uns tios (um médico) e minha mãe fez um teste de gravidez, desses de farmácia. Deu positivo! Essa é a primeira lembrança do Fê, 8 anos mais novo que eu. A Rafa teve crise de ciúme, febre, dor de cabeça... Eu não me lembro de ter tido nenhum sintoma desses, mas queria que fosse menina. Durante toda a gravidez não sabíamos o sexo porque minha mãe preferia a surpresa. E pra gente certeza que teríamos a Isabela... E veio o Fernando.
A primeira vez que vi o Fê ele chegou num carrinho na porta do quarto da maternidade que tem um monte de divisórias com um monte de micro bebês...  Ele estava de roupinha amarela.... A partir daí foi paixão total. Essa nova vidinha nas nossas vidas mudou tudo, e tudo foi pra melhor. Eu tinha um boneco vivo! Minha mãe me deixava cuidar dele, segurar no colo, trocar a fralda (com OITO anos).
Hoje ele tem 21 e pra mim ainda é um bebê... É como se fosse um filho meu e da Rafa. Dizemos aqui em casa que ele tem três mães.... Tem mesmo, e coitado, único homem da casa, deve sofrer mesmo com a gente hehehehehe.
Mas voltando ao motivo desse post, é pra desejar pro Fernando, Fernanda, Mari, Carol e o mais novo herdeiro, Henrique, muita saúde, amor, paz, felicidade, respeito, harmonia... Tudo que eu sei que já tem nessa casa deles! Espero conviver ainda mais tempo com esse povo pra um dia, daqui uns anos eu conversar com a Mari e a Carol pra saber se elas também são tão apaixonadas pelo Henrique como eu e a Rafa somos babonas pelo Fê....

Ps1: esse post pode parecer estranho pelo número de Fernandos, mas meu chefe é Fernando, a mulher dele é Fernanda e meu irmão também é Fernando, pra não confundir chamei meu irmão só de Fê e meu chefe só de Fernando.
Ps2: fotos 1) Henrique na barriga, 2) Fe pequeno na praia, 3) Carol e Mari
Ps3: pra com entar clicar em visualizar e colocar as letrinhas embaralhadas.






terça-feira, 23 de agosto de 2011

Um pouco da vida real no meio da Classe A da Vila Olímpia

Hoje estava eu após minha aula de duathlon que faço quase que religiosamente na minha querida e caríssima academia Reebok. Depois do meu banho, pra agilizar o almoço fui até o Coffee House, mais conhecido por Mal Humorada, pra comer um Beirute. Lá encontrei o Rafa que já estava na fila... Ele fez o pedido e eu fiquei na mesa esperando do lado de fora.
Na mesa ao lado quatro mulheres conversando, e chegou um senhor bem maltrapilho falando coisas com dificuldade, não sei se porque não tinha alguns dentes, se porque era muito pobre, se estava meio bêbado, se era meio doente... Parecia que ele falava sobre um assalto... As mulheres sem graça até deram uma trela, e eu já peguei meu celular e fingi estar vendo alguma coisa, pra que ele não puxasse papo comigo. Sem contar o olho na mala da academia, né?! Vai que roubam meu Nike, meu Polar, minhas mala que comprei em Londres....
Ai o senhor parou de conversar com as mulheres e começou a olhar as lixeiras de coleta seletiva para ver se achava algo que pudesse aproveitar. Naquela hora passou pela minha cabeça “cadê o segurança que deixa esse cara ficar aqui dentro fuçando as coisas, incomodando as pessoas?”.... Segundos depois eu cai na real. Ele foi saindo com um saco de lixo com coisas que faziam barulho de lata. O senhor mal tratado pela vida, talvez sem nenhuma oportunidade estava lá pra tentar ganhar um pouquinho a mais do que ele ganha, se é que tem alguma renda fixa.
Fiquei pensando em como eu vivo numa bolha. São Paulo é uma bolha, e trabalho num bairro que é uma gota dessa bolha.... A vida das pessoas no geral é essa aí, é difícil, é matar um leão por dia, é trabalhar de dia pra pagar o jantar de noite. E eu pensando onde estava o segurança que permitia aquele homem estar ali, como se aquele homem fosse menos pessoa do que eu.  Como se eu fosse melhor do que ele porque havia saído da Reebok e usava um vestidinho bonitinho... Aquele homem poderia ser meu avô, meu pai.... Felizmente eu tive a sorte e a oportunidade que a grande maioria dos brasileiros não tem.
Me toquei com essa cena hoje, com o meu pensamento arrogante a princípio, mas felizmente a ficha caiu rápido, me mostrando que todo mundo nasceu pelado e vai ser comido por germes, essa é a vida.... Todo mundo merece respeito e as mesmas oportunidades. Apesar de parecer só um sonho, espero sinceramente que isso aconteça em breve no Brasil.

Ps: lembrando que pra comentar tem que clicar em visualizar e escrever as letrinhas pra mostrar que vc é um ser humano e não um ser ET.... =)




segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Isso tá me fazendo bem...


Esse blog tem preenchido um espacinho meu... Ou um espação... Se bem que nem sei se tenho tanto espaço sobrando, só sei que minha cabeça não para nunca. Tenho vivido momentos de alegrias e angustias, altos e baixos.... E isso é mesmo um devaneio.... Daqueles do tipo que vc fala, fala, fala e não fala nada.... Isso me fez pensar num próximo post, um texto que escrevi num tipo "diário" meu....
Bom, mas td bem... Tava aqui pensando que queria ser uma blogueira, mas bloguei

ra que se preze tem que ter conteúdo, né?! E na ausência do conteúdo intelectual nessa noite fria o que eu quero dizer é isso que ta aí!
Ps: lembrando que pra comentar tem que clicar em visualizar e escrever as letrinhas pra mostrar que vc é um ser humano e não um ser ET.... =)

domingo, 21 de agosto de 2011

“Comida é o novo sexo” – Onde está a felicidade?

Essa foi uma frase dita no filme “Onde está a felicidade”, nacional, com Bruna Lombardi, Bruno Garcia, entre outros.... Eu quase que concordo porque se tem coisa na vida que eu amo mesmo é comida! Ainda bem estamos na terra e temos esses prazeres da carne, a comida e o sexo! hummmm
Pra acabar o domingo de uma forma leve lá fomos ao cinema Rafa, Mamys, eu, e mais duas amigas da Rafa. Achei um filme gostoso, talvez um tanto quanto doce, bem cheio de risadinhas, porque eu não sou dessas que moooorrrre de rir, alias, sou um tanto mal humorada...
Mas o filme traz alguns insights, primeiro que já me deu aquela vontade de fazer o Caminho de Santiago de Compostela....  Até eu descobrir que são 790 km... Ok, quem sabe um dia.... Mas aí no meio do filme vêm aquelas crises de o que estou fazendo? Quem sou eu? Do que eu gosto? O que é realmente a felicidade e de onde ela vem???? E enquanto se anda, anda, anda, a gente deve acabar ficando tanto tempo com a gente mesmo e quem sabe chegar às respostas a todas essas perguntas....
No final do filme aquela galera toda chegando da caminhada coma aquela cara de satisfação, superação, de agradecimento, de ser uma pessoa melhor, mais espiritualizada e dá de novo me dá aquela vontade dos 790 km.... Será?!
No final das contas comecei a pensar no que conversei sobre budismo com a minha mãe hoje de manhã, segundo os budistas (o pouquíssimo que eu sei) a felicidade vem de dentro pra fora, e tudo muda no mundo quando passamos a olhar pra ele de outra forma. Então que tal tentar mudar o olhar?! Eu mesma preciso exercitar isso!
Trailler "Onde está a felicidade?"

Gente, pra comentar os textos tem que fazer assim:

Clica lá em "Comentários", ai nao precisa ter blog, nao precisa ter wordpress, nd disso, poe lá "nome", ai vcs colocam o nome de vocês... escrevem o comentário e clicam em "visualizar", ai vai vir uma página onde aparecem aquelas letrinhas meio embaralhadas só pra confirmar que vc é uma pessoa e nao um ET.... ai pronto! Fica registrado! Há!

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

“Eu sempre consegui todas as coisas que eu quis e não vejo nada que eu queria que eu não me sinta capaz de conseguir” – Herbert Vianna

Voltando pra casa naquele trânsito infernal eu cai na CBN... Geralmente só escuto CBN de manhã, Max Geringer, Lucia Hyppolito, notícias, Mauro Haufeld, os comentários apimentados do Jabor, a Miriam Leitão... Aquelas coisas de gente que trabalha em escritório se sente praticamente na obrigação de saber! Mas a noite depois de ter trabalhado o dia todo eu escuto música mesmo.... Mas, sempre tem um ‘mas’ hoje cai na CBN e às sextas feiras eles tem um programa que chama Final de Expediente, e o Dan Stdan Stulbach entrevista algum convidado. E quem tava lá dessa vez?! João Barone, baterista dos Paralamas do Sucesso.
Ah, os Paralamas, o primeiro show da minha vida, lembro como se fosse hoje, eu Luana e Alan na pista... Com 13 aninhos, “vamo batê lata, tonel, garrafa d'agua, vamo batê no pulso da artéria da rua”... Depois desse show no Olimpia, fui a tantos outros e ouvi tantas vezes aquele CD...
Num momento da entrevista que estava interessantíssima, alias, tem gente muito interessante no mundo, pena que a gente nem sempre encontra essas pessoas.... Mas, voltando a entrevista foi comentado que esse ano faz 10 anos do acidente de avião do Herbert Vianna. Lembro que com meus 19 aninhos eu fiquei nervosíssima achando que um ídolo ia morrer.... E num determinado momento perguntaram sobre a sua reação pós acidente, e ele disse que o Herbert sempre foi forte, e que numa frase de um filme que fizeram sobre o Herbert Viana (trailler abaixo) ele dizia assim: “Mesmo se a gente parasse e acontecesse uma tragédia eu ia começar de novo ou musica ou alguma outra coisa e ia conseguir tudo de novo”. E que a banda sempre pensava positivamente na recuperação dele...
E ele se recuperou mesmo! Vi o Herbert Vianna no palco de cadeiras de rodas no RJ no Morro da Urca, não poderia ser melhor!!
Resumindo a sexta feira.... Trânsito de mais de 300km em SP, 1h pra chegar em casa, e uma sensação boa de ter ouvido essa entrevista. De saber que tem gente que é feliz, que quer ser feliz, que é simples, interessante. Mais ainda, que tem gente que acredita e faz a gente acreditar também! Espero que todos nós sejamos capazes de fazer tudo aquilo que quisermos, assim como o Herbert Vianna.
 Ótimo final de semana a todos!
Trailler - Herbert de Perto

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Resposta da Carine ao meu post, que vale mais um post....

Bi, sem dúvida Deus te abençoou com um dos melhores pais que Ele poderia te dar. Aquela coisa que não importa a quantidade de tempo que ele esteve ao seu lado, mas sim, a qualidade!
Ele tb foi meu pai. Com ele fui à primeira pizzaria, ao primeiro banho de mar. Com ele aprendi a importância de trabalhar, de estudar de ter ao seu lado um homem de verdade (ele botava defeito em todos meus namorados, pq não achavam que estavam à minha altura, e como sempre tinha razão! )...
O Titio foi o homem mais incrível que eu conheci. Doido né? Nunca posso esquecer do "eliane, bora... Beijo"... E qdo víamos estava dentro do carro, a titia saindo pela casa, catando filho, brinquedo roupa e ele já buzinando chamando... Ou qdo ele perdia a chave(sempre!). Ou trancava dentro do carro(sempre tb). Mas a doidera pra mim sempre foi normal né? Veja minha mãe heheh! (aliás, como se parecem!!!).... A maluquice de encher nosso saco pra não engordar... Mas ao mesmo tempo no levando na santa marcelina e mandando escolher o doce que quiséssemos...
Dos dias que enchia as mãos de notas de um real (ou algo relativo a isso na epoca) gritando "a lá silvio santos" quem quer dinheiro!!! E a gente correndo pra pegar as notas. De quando ele me dava a cartelinha de ticket restaurante pra que eu pudesse almoçar melhor no trabalho, já que o meu era ridículo e um dele era suficiente pra eu almoçar quase uma semana....
Sei lá, é tanta lembrança boa. Só uma triste - a sua partida assim, sem despedida, sem beijo de tchau, sem um abraço. Mas, eu sei. Ele tá presente sempre. Nas melhores lembranças. Na melhor e maior referência. E como sei que nossa ligação espiritual é imensa, um dia nossas almas se reencontraram e aí eu vou lembrar que não houve despedida pq essa vida terrena aqui é só uma passagem e que o máximo que podemos falar é "até breve"...
Amo vc, vc sabe muito bem. E sim, vc tá cada vez mais nilsinho. Espero que não comece a ficar doidinha igual ele. heheheh! Beijos...
(como tava difícil de entrar via comentário, vms ver se aqui entra!!)
Por Carine Tebar Zago

domingo, 14 de agosto de 2011

Alguém me empresta um pai?! Não... acho que não preciso....

Hoje é dia dos pais, e tivemos em família um dia bem feliz!
Fomos pra Santos, ver o meu pai número 2, o vovô Lauro. Esse avô é pai da minha mãe, e sempre esteve presente na minha vida, tenho lembranças desde criancinha e sou completamente apaixonada por ele... Devo a ele muitos dos meus valores, muito de quem eu sou. Lá encontramos o tio Luís, que é padrinho da Rafa, tem um coração enorme e sempre faz de tudo pra agradar a gente.
Acordei pensando no meu outro avô, o Sebastian, que infelizmente não está mais aqui com a gente... Estava eu tentando pensar em qual seria a capital da Áustria, Viena?! Não sei ao certo, mas ele saberia, assim como sabia de tudo, tinha uma cultura enorme, e um bom humor único. Muitas saudades boas do meu avô.
Ai, depois falei com o tio Tô, outra referência na minha vida. Aquele que eu sempre, sempre, sempre fui declaradamente paga pau. Sempre quis estar junto, e sempre dizia pra todo mundo que eu era a sobrinha favorita. Esse pai foi aquele que me ajudou a fazer o meu primeiro CV, me ajudou a comprar o meu primeiro carro, me ajudou em muitos momentos difíceis, me mostrou música boa, e sempre nos divertimos muito. Ele é de Áries, agora que eu pensei nisso, oposto perfeito do meu signo. Que coisa!
E agora falta o meu pai de verdade, que não está mais comigo fisicamente há tanto tempo que dá medo de pensar.... Nilson... Aquele que junto com a minha mãe me ensinou tudo sobre família, respeito, amor. Lembro da conexão que tínhamos. Lembro dele trazendo café da manhã especial pra gente, da prova que eu fui mal e ele me disse que não tinha problema... Lembro dele me levando a shows e ensinando o que eu precisava fazer caso acontecesse um incêndio ou um tiroteio hehehehehe. Dos churrascos intermináveis, dos muitos amigos, dos jantares no Forchetta D´Oro, dele indo me buscar no cursinho, dele trazendo a pizza que eu queria (sem ele saber) na véspera da morte dele.... Lembro da comemoração pré prova da Fuvest (só ele poderia fazer isso), são tantas coisas boas.... Coisas que só ele fazia... E como eu me pego cada vez mais parecida com ele, independente de quanto tempo passe....
A viagem de ida e volta pra Santos foi ao som de Pink Floyd... E o meu pensamento sempre com ele, como muitas vezes, e não só no dia dos pais....
“How I wish, how I wish you were here
We're just two lost souls
Swimming in a fish bowl,
Year after year,
Running over the same old ground.
What have we found?
The same old fears
Wish you were”

Cadê?! Segurança em SP, na pele de novo....

Ontem tinha tudo pra ter sido o dia perfeito, cheio das pequenas felicidades que fazer a vida ser realmente boa (aspequenasfelicidades.tumblr.com). Estava indo super bem:
- Tomando café com o namorado;
-Lavando as roupas da semana num final de semana seco e de sol (que é uma maravilha porque seca tudo rapidinho);
- Aguar o jardim bem bonitinho;
- Almoçar com os irmãos no jardim;
- Visitar a Bio Ritmo com a irmã;
- Pensar no jantar e fazer comprinhas pra fazer o jantar, comprar um pró secco...
Enfim.... dia perfeito, né?!
Até que, por que sempre tem que tem ter um “mas”.... Até que recebo uma ligação da Rafa pedindo pra ser resgatada numa Drogaria SP porque a farmácia tinha sido assaltada, e sendo assim ela também... Bolsa, telefone, relógio, documentos, tudo isso com uma pancada de um revolver nas costas pra ela perceber que era um assalto.... Precisa???? Ela estava ao telefone com uma amiga, que ouviu tudo, e entrou em pânico é claro... Os caras fugiram... E a gente? Bom a gente ficou com aquela sensação de mãos atadas, medo, desespero, valor a vida... Enfim... Não  dá pra ficar relaxada em SP nunca... Uma pena!

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

What is your passion?!

Pra pensar todo dia, toda hora, no final de semana, no trânsito no banho....

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Amadurecimento.... emoções mais fáceis de expor....

Sabe que eu sempre ouvi que fazer 30 anos era ótimo! No fundo eu estou passando pela crise dos 30 anos, aquela que faz a gente pensar, reavaliar a vida, pensar de novo, querer entender o mundo e querendo entender a mim mesma. Pensando no que gosto realmente e nos valores que são mais fortes pra mim.

Outra coisa que percebo é a facilidade de colocar pra fora as emoções. Não sei se no meu caso são os 30 anos ou se é o amadurecimento pós morte do meu pai (13 anos atrás). Parece que finalmente eu posso ser frágil e finalmente eu posso chorar, e finalmente eu posso ser eu mesma... Engraçado né?! Quem será que eu era esse tempo todo? Fui me moldando? Aprendendo.... Talvez...

Hoje minha irmã teve seu último dia de férias, passamos 1 mês aqui em casa, fazendo coisinhas de rotina, nada de demais, mas essas coisas de família, e eu sentia a angústia dela de sair de perto da gente pra voltar pra Itu (100km). Ela também chegando perto dos 30 simplesmente colocou pra fora tudo isso, os sentimentos, as angústias... Coisa que ela nunca fez, assim como eu... Engraçado, né?!

Sei que hoje eu fiquei com o coração apertadinho... Mas sei também que isso vai passar, o final de semana vai chegar e sempre tudo acontece pro nosso melhor. Um beijo pra Rafa e boa volta ao trabalho e a casinha que ela tanto gosta.

"A vida é tão rara"

Ontem fiquei sabendo da morte da mãe de uma colega da Comgás. Daquelas coisas repentinas que sempre nos comovem, e sempre nos fazem pensar em como somos frágeis, e ao mesmo tempo fortes.

Hoje uma das primeiras coisas que vi no facebook foi: "'dê valor às pessoas enquanto elas estão por perto, saudade não será motivo suficiente para que elas voltem".

Eu sei o que é perder alguém, meu pai, que se foi também do nada, quando eu tinha 17 anos. Depois foram alguns mais velhinhos e esperados, uma tia avó muitíssimo querida, a tia Clementina, meu avô Sebastian muitíssimo fofo, enfim....

Perder alguém nunca é fácil, e nem é possível perguntar se a pessoa que perdeu alguém está bem... Obvio que não. No geral a ficha nem caiu ainda....

Mas existe uma parte confortante disso tudo que é saber que demos valor e vivemos essas pessoas enquanto elas estavam com a gente. A saudade significa que vivemos coisas boas e que são essas lembranças que vão ficar. Pra quem perdeu alguém o que eu costumo dizer é que a dor vai sim existir, a dor vai sim doer em muitos momentos, mas com o tempo vai ser só saudade boa.... Saudade de quem se amou, saudade do que valeu a pena.

Esse post é pra Adri Marmo.

domingo, 7 de agosto de 2011

Ética... até onde a gente vai?!

Ontem eu assisti ao filme “Assalto ao Banco Central”, nacional com Giulia Gam, Lima Duarte, entre outros... Pra quem não viu o filme e pretende ver melhor não ler esse post.... Ontem eu fiquei pensando até onde vão os nossos limites éticos, e se é que eles existem. Teria a ética aquela coisa de ‘meio ética’, tipo ‘meio grávida’ ou ‘meio virgem’???
O filme fala sobre o assalto ao banco central de Fortaleza, e mostra a atuação de um grupo que quer grana. Tudo encabeçado por um cara que obviamente ficaria com mais grana que os outros. Nesse grupo tem um comunista, que vive falando sobre os direitos dos proletários. Num momento alguém questiona o motivo de a grana não ser dividida entre todos, dado que o trabalho, o perrengue, foi o mesmo pra todo mundo. Nem preciso dizer que esse foi apagado pelo cabeça.
Algumas mortes mais... Pessoas presas e dois que se safaram: o cabeça, que pensa e, portanto costurou tudo a ponto de não ser pego e ficar com grana, e  o tal comunista que tinha o discurso de distribuir a renda ou de então ajudar alguma instituição de esquerda... Esse aí aparece em Paris, degustando um vinho nacional, sem nenhum perfil comunista. Ah, sem contar o crente, que foi preso, mas disse ao pastor que entregaria todo o dinheiro que havia recebido, ‘mas era tanto dinheiro que Deus não ia achar ruim ele ficar com um pouquinho pra ele, né?’
Aí eu me perguntava, até onde o dinheiro pode comprar a gente? Ele pode?  Até onde nos garantimos na nossa ética e valores. Me considero ética, não compro CD pirata, sou contra não pagar impostos (apesar de tudo), e sim, tenho medo de ser presa por uma besteira dessas.... Mas eu me peguei pensando no seguinte: será q roubar dinheiro de ladrão faz mal?! Pegar alguns milhões do distinto senhor “rouba, mas faz” é tão mal assim?!
E finalizo com uma frase dita no filme: “assaltar um banco é nada comparado com fundar um” – Lenin.

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Homem pode ser amigo de mulher? Em quem podemos confiar?

Esse título foi só pra chamar atenção porque pra mim homem pode ser amigo de mulher e ponto final. Pra mim eu posso confiar no colo de um amigo num momento de tristeza sem achar que ele vai querer me pegar por estar num momento de fragilidade.

Hoje foi um dia de decepção pra mim... Não, nenhum homem tentou me agarrar... Decepção com pessoas que eu admirava...

Fico pensando então em quem a gente pode confiar, quem que no nosso dia a dia é realmente de verdade, de palavras, de sentimentos, de energias... Sabe??? Como alguém que se diz íntimo de você te expõe na frente de um monte de gente, e como um outro alguém que também se diz amigo, que faz de tudo pra te ajudar, simplesmente não te salva num momento desse?

E o que fazer quando isso acontece se essas duas pessoas são mais fortes que a gente? Além da decepção fica aquela dúvida do tipo “será que todo mundo é mais ou menos assim?”.... Não sei, eu juro que eu sou muito inocente, tonta mesmo... Sempre tento ver primeiro o lado bom das pessoas, costumo não pré julgar, a menos que seja aquela coisa do ‘santo que não bate’.... Mas hoje eu realmente fiquei chateada....
Escrito ontem em 02/08/2011