Marcadores

Da Gabi (160) Dos queridos (54) Amor (46) Por aí (35) Dicas (28) Família (28) Comidas (18) Viagem (16) Chatices (15) Esportes (13) Trabalho (12) Livros (9) Música (9) Crianças (5) Filmes (2) Moda (2) Sampa (2) PequenasFelicidades (1)

Instagram

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Carta de Apresentação - Gabriela por Gabriela

Oi! Eu sou a Gabriela, libriana de 30 anos. Sou administradora de empresas, meia maratonista, de uma prova só, por enquanto, blogueira, meu novo hobby, irmã, filha, namorada, neta, subordinada, aluna, amiga, prima...
Gosto de discutir assuntos polêmicos, idéias, e não à toa o título do meu blog é “Devaneios”.  Mudo de idéia e não me culpo por isso. Me sinto muitíssimo bem depois de uma corrida e dou muito valor ao equilíbrio na minha vida. Invisto muito tempo na procura desse equilíbrio, característica bem libriana.
Sou a mais velha de três irmãos. Tenho uma mania absurda de achar que sou mãe deles, e me sinto responsável sim. Sofro sim, e sou capaz de ter um ataque se alguém fizer um dos dois sofrerem.
Meus pais me tiveram bem cedo, minha mãe tinha 23 e meu pai 26! Uns bebês cuidando de outro. Os valores que eles me passaram foram sempre fortes. Meu pai já foi eleito por alguns como o melhor pai que alguém poderia ter, e olha que não foram os filhos que falaram isso dele. Isso porque ele morreu em 1998, e não tem uma pessoa que tenha conhecido o Nilson Bernardino, ou o Nilson Preto que não o admirasse. Minha mãe também foi eleita por muitos e, dessa vez também pelos filhos, por ser uma pessoa muitíssimo guerreira. Viúva aos 40 anos com 3 filhos, fez tudo que podia e o que não podia pra continuar dando pra gente de tudo mesmo sem o meu pai por perto. Financeira e emocionalmente falando ela segurou essa onda praticamente sozinha por muito tempo.
Meus avós são outra parte do que sou. Sempre presentes, sempre modelos de atitude, simplicidade, companheirismo e luta. Lauro, Faustina, Dora e Sebastian. Muitas saudades do último, que foi uma das pessoas mais cultas e com menos possibilidades de estudo que conheci, de uma alegria e bom humor inigualáveis.
Não posso deixar de falar do resto da família que é uma piada! Uma delícia! Todo mundo meio louco, uns adoram um jogo de baralho, outros adoram um rock, outros moram em SP, outros lá no interior no MS, uns só falam de doenças, outros só pensam em churrasco e cerveja. Os casamentos são sempre gigantes, e não consigo fazer uma festa de aniversário sem juntar pelo menos 30 pessoas, só os de primeiro grau!!!! Cresci com meus primos passando férias na praia e no interior e fui criada também pelos meus tios, que sempre estiveram por perto.
Adoro praia, e me sinto muito melhor morena. Me olho no espelho e me reconheço muito mais quando estou nega, parecendo uma índia, e mostrando minhas raízes. Também gosto muito de viajar e por muito tempo todas as férias (depois que comecei a trabalhar) necessariamente tinham uma boa viagem programada. Tenho a felicidade de conhecer muitos países, mas por mim voltaria a todos eles com mais tempo, pra viver a vida de cada um dos lugares escolhidos.
Gosto de comer. Do luxo ao lixo como costumo dizer. Adoro meu papaya com granola, tomo a água morna que a minha tia Clara ensinou e também adoro me afundar num balde de pipoca bem melecado de manteiga. Gosto de tomar capuccino na Kopenhaggen com a minha mãe, a Rafa e o Fê. Muito mais pela experiência do que pelo café em si....
Sou namorada de um namorado que me entende como poucos. Estamos juntos há mais de 2 anos, e por esse tempo os sorrisos sempre foram muito mais freqüentes que as brigas.
Hoje sou muito menos forte do que antes. Hoje me permito chorar tudo que não chorei quando achava que eu tinha que segurar a onda em função da ausência do meu pai. Hoje eu sou muito mais humana que aos 20.
Também sou muito mais mulherzinha, me arrumo mais, e é quase impossível sair sem um blush, a menos que eu esteja no meu estado “índia”, aí eu não preciso, sem protetor solar?! Nunca!!! Tento dizer todos os “nãos” que eu quero, mas ainda é difícil pra mim!
Sou uma pessoa indignada.  Não aceito qualquer coisa, não gosto de gente que trata mal as outras por não serem da mesma classe social. Não acho normal uma pessoa se achar melhor por ela ter mais “poder” que o outro. Que poder?! Não consigo e não quero conseguir aceitar esse tipo de baixeza espiritual.
Aproveitando o bonde fui batizada, fiz primeira comunhão, e aprendi a rezar o Pai Nosso e a Ave Maria antes de dormir. Minhas avós que foram responsáveis por essa tarefa. Depois me encontrei no espiritismo e hoje eu procuro estar bem independente da religião. Acho que todas agregam alguma coisa e fazem o bem, ou quase todas.
Tenho mania de juntar os amigos e mantenho contato por muito tempo com pessoas que eu considero que valem à pena e pessoas que também acham que eu valho à pena. Amizade como qualquer outro tipo de relacionamento tem que ser mútuo, e posso dizer feliz que sim, sou cercada por pessoas que gostam de mim, e sei que se eu cair vou ter ajuda pra levantar.
Gosto de boa música. Sim boa música, e isso claro que é uma coisa que eu defino e mudo aos poucos minha playlist... Os clássicos continuam como Pink Floyd, Eric Clapton, Elis Regina, Bom Jovi (eu tenho 30 anos!!), U2.... Sem contar os shows, foram tantos na minha vida, e espero que continuem, apesar de hoje eu estar mais seletiva... Os 30 anos de novo!
Quando leio tenho dó de acabar o livro. É como se eu estive perdendo um pedacinho do que foi a minha vida no período em que li. E os filmes... Passei da fase dos “água com açúcar”, gosto de coisas leves, mas principalmente gosto daqueles que me fazem pensar, que me mudam de alguma forma.
Brigo, brigo, brigo. Tenho o gênio forte e sou facilmente irritável. Meio tolerância zero. Só que meu lado libriano muito social joga tudo isso pra dentro de mim. Ai eu sofro de gastrite, agora a moda é a enxaqueca. Ai eu brigo de novo, comigo mesma porque não posso me deixar envolver tanto assim. Rs rs. Engraçado até, né?!
Também falo horrores, deu pra notar?!
Isso é o que eu gostaria de escrever numa dessas Cartas de Apresentação que a gente vê por aí. Acho que as pessoas e suas experiências de vida são muito mais importantes do que a faculdade cursada, ou do quão fluente se fala outra língua. O que vocês acham?!

3 comentários:

  1. Uau!!!!!
    É você, simplesmente isso,você.
    Adorei!!!!!

    ResponderExcluir
  2. É, dá mta vontade de poder estar sempre na gnt msm.
    E, como vc fala?! Mas pq não tb!!! rsrsrs
    Bom ir aprendendo tantas coisas com vc, amiga tão querida e velha de guerra!!!

    ResponderExcluir
  3. nossa!! até perdi o fôlego!! rs...
    vc é simplesmente demais!!! morro de saudade de quando a gente ficava conversando horas antes de dormir... das nossas discordâncias sobre a vida, homens, atitudes... dos telefonemas de domingo... mas, com tantas diferenças, sempre fomos unidas e próximas, mesmo estando longe. Amo muito vc, minha irmãzinha q não tive!!! pena não poder pegar uma varinha mágica e fazer o tempo voltar!!! continue nos ensinando a viver cada dia melhor e mais intensamente. Bjo grande

    ResponderExcluir