Marcadores

Da Gabi (161) Dos queridos (54) Amor (47) Por aí (35) Dicas (28) Família (28) Comidas (18) Viagem (16) Chatices (15) Esportes (13) Trabalho (12) Livros (9) Música (9) Crianças (5) Sampa (3) Filmes (2) Moda (2) PequenasFelicidades (1)

Instagram

domingo, 30 de junho de 2013

Um fim de semana na casa dos Ozores Pesente

Sexta feira a noite: chegamos minha mãe e eu já tarde, uma vez que teve operação comboio... Meu avô ficou feliz ao nos ver, estava bem humorado. A vovó já de pijama esperando a gente e "a hora de ir dormir".... Minha mãe ficou na sala junto com a enfermeira que estava naquela noite. Não sei se todos sabem mas, apesar de ter uma enfermeira é necessário ter um cuidador. Um cuidador dá um apoio a equipe do home care. Banho, troca de fralda, secreções que saem pela traqueostomia... Enfim... Não temos essa pessoa ainda, então temos nós mesmos, a família, e obviamente a minha avó não tem condição de fazer isso... Peguei uma cena fofa antes dela ir dormir, meu avô fazendo carinho no cabelo dela.... Passando a mão... Fico pensando se isso ainda existe.... Não falei uma palavra pra não quebrar aquele momento.

O Fisio levantando o vovô pra ir pra poltrona
Sábado: Laurinho como sempre - sim, ele não é desses idosos que acordam com as galinhas - dormiu até umas 10h.... Coincidentemente como eu que estava quebrada e capotei. Não é que ele acorda no melhor dos humores, não, viu.... Não fica muito afim de papo, e isso é só modo de falar dado que ele não está falando por causa da traqueo.... Pedi pra minha avó me fazer companhia enquanto eu tomava café, pra ver se fazia a senhorinha parar quieta um minuto... Só que ela não agüenta. Bom, sabíamos que em breve chegaria o fisioterapeuta e o ideal seria o vovô já estar de banho tomado... Meio mal humorado, que nunca foi o normal dele antes do AVC,  não é legal ficar fazendo coisas em ninguém, mas não tem alternativa.... Banho, na cama, sim, na cama, ele não tem condição de ir numa cadeira de rodas ainda pra tomar banho... Em breve terá! Banho... Corre pra secar a água que escorreu do banho. Balde, pano, lysoforme, seca tudo, aproveita e já higieniza a sala. E "dindon" chegou o Tiago, o fisioterapeuta. Ainda meio mal humorado e meio mole por causa do banho - imagino que deva ser a sensação de sair de natação, aquela molezinha... Aí lá vem alguém fazer o moço (Lauro) fazer exercício, nessas condições... Abri o piano que com toda a minha habilidade eu toquei um dó ré mi fá! kkkk.
Quando finalmente sentou e eu fiquei dando apoio...

Minha mãe tentou o bife e deu umas erradas... E minha avó finalmente chegou e deu um apoio pra minha mãe, aí ficava quase imperceptível o erro da iniciante com a ajuda da profissional... Ai ele despertou! Até que ele ficou bonzinho e fez o que pedíamos... Sentou na cama, eu de um lado e o fisio do outro, pra ele se sentir seguro.... Aí a pergunta "e ai, vamos pra poltrona?"... Sim, ele foi, o Fisio o levantou, ficou na frente (como fazemos quando seguramos um bebê que está começando a andar, mas na altura dele) e foi levando ele a passinhos baixos e devagarzinho até a cadeira. Eu fiquei muito feliz de ver essa cena. Eu já sabia que isso tinha acontecido, mas não tinha visto... Eu não sabia se tirava foto, se olhava, rs rs.... Tipo levantar o pé são 2 cm, um super evolução da semana passada quando ele apenas arrastava as pernas....
Mini passos, mamãe e vovó sempre do lado. De óculos Cá!!!

Ele tentava falar, e eu tentava ler os lábios e não conseguia, aí chamei o enfermeiro e perguntei se ele entendia.... Só que o enfermeiro também não entendeu... Meu avô riu de nós dois tentando entender e desencanou de tentar falar.... Na hora de voltar pra cama só o enfermeiro, eu e minha mãe... Insegurança... Mas deu certo. De repente ele mudou de humor. Ficou meio bravo. E a gente não sabe o motivo...

Fisio de novo. E ele continuava mal humorado, bravo.... Não sabemos o que acontece que causa essa mudança mega de humor... Mas acontece... E eu entendo porque afinal de contas todo mundo tem seus dias de "ovo virado".... Ele inclusive pede pra gente sair de perto, sério... Com a mão ele faz um gesto de tipo, sai sai.... Bem de repente ele ficou melhor de novo.... O fisio explicou também que o fato de estarmos "desmamando" do oxigênio (direto no buraquinho na traqueo), mesmo que controlando a saturação de oxigênio - percebam meu nível técnico que coisa linda - pode ter deixado ele mais confuso... Pode ser isso... Ou não... We never know....

Fomos a padaria pegar um pãozinho e no caminho encontramos o Arantinho, irmão do tio Luiz veio visitar e ele e a esposa ministraram johrei, um ritual da igreja messiânica, na qual o Arantinho é ministro e tem feito visitas freqüentes e poderosas, desde a época da UTI - esse pessoal de igrejas tem passe livre, até na UTI. Nessas horas nada como ter amigos e nada como ser alguém querido como Lauro Pesente. Meu avô tem super afinidade com a Rosangela e fica encantado olhando pra ela. Coincidência ou não o fato é que após o johrei ele ficou calminho....

Como na noite anterior minha mãe ficou na sala pro caso da enfermeira do home care precisar de ajuda essa era a minha noite. Trouxe meu colchãozinho e me deixei a disposição da Ana Paula. Madrugada tranqüila. Não fui solicitada.

Domingo: acordei com uma falação. Até a noite anterior umas 20h não sabiam ainda quem de fato iria cobrir o enfermeiro que costuma ficar lá em casa e não poderia hoje. Enfim, arrumaram uma moça. Ela chegou nervosa coitada. Atrasada, molhada de chuva... O caos.... Levantei, mesmo com aquele vontade de continuar dormindo que a chuva traz pra gente.... Vendo a moça molhada já tirei meu chinelo e dei pra ela.... Felizmente minha avó comprou uma secadora e ai eu emprestei uma calça pra moça e pus a roupa dela lá... Em meia hora tudo certo. Adoro tecnologia. Tomamos café da manhã juntas e nada da Faustina descer. Fiquei preocupada... Ela sempre levanta cedo, subi pra ver se tava viva... Ando meio neurótica mesmo... Acabei dando um susto nela coitada.... Minimamente consegui fazer algo por ela... Café pronto, mesa posta, leite quente.... Tudo bem e sem dor! Uhu!

Prepara tudo pro banho do vovô (na cama). Esquenta água, pega as bacias, faz isso, pega aquilo... Enquanto isso eu sai correndo pra tirar tudo do varal antes que a Faustina quisesse fazer isso. E o pior, ela me disse que tinha que passar os lençóis caso contrário não teria o que por na cama do meu avô... Passei meio rápido, e meio com medo dela achar ruim.... Sim, minha avó é dessas perfeccionistas, ela fez um curso do economia doméstica e só gosta do jeito dela de fazer as coisas. Eu que sempre fui mega feminista, que disse que não passaria camisa de homem nenhum me vi passando a camisa - do pijama - do meu avô, com todo o amor da minha vida... Faria isso todos os dias da minha vida se fosse preciso... A vida dá uns tapas na nossa cara. Acabei de passar. Acabou o banho. Prepara o balde com água, lysoforme, pra secar tudo. Quando chego na sala a cama já tinha um lençol! Minha avó tinha feito um draminha dizendo que não tinha lençol pra depois daquele banho.... No fundo eu acho que é fuga dela... Ela fica o dia todo fazendo um milhão de coisas, imagino que ela sofra tanto de ver meu avô assim que fica vendo a roupa bater dentro da maquina... Dobra tudo pra por na máquina de secar... Passa tudo.... Sei lá.... Pelo menos hoje não tinha dor....

Dupla acabada "assistindo ao jogo ITA x URU
Já aproveitei e passei o pano na casa toda - tudo isso em tipo 2 horas.... A gente pensa "ah, tem home care, ta susssa..." Não, não é bem assim. Chegou o fisio, fez uns exercícios que meu avô parecia não gostar muito, meio que apertando os pulmões, pra sair a secreção. O moço é super atencioso e calmo, e meu avô as vezes fica bravo mas eles se entendem. Conheço meu avô pelo olhar e eu sei que ele gosta desse moço. Fomos pra cadeira, eles foram, andando da mesma forma que no sábado.

Almoço, minha avó contratou umas quentinhas que uma família de nutricionistas faz porque ela não dá conta de fazer tudo. Pra se ter idéia acho que ela lava uns 3 lençóis e umas 2 toalhas de banho por dia, mais os panos de chão, mais os pijamas, não a toa precisou de uma máquina de secar roupas. Santos é úmido, inverno chegou.... Sem contar o fato de que a casa é antiga, e portanto o disjuntor não agüenta tanto equipamento, então não é só sair comprando, tem que analisar, e pra isso temos o santo Luiz, o genro que socorre em todos os momentos, e um dos homens de coração gigante que eu conheço.

Vovô na cadeira há umas três horas, no hospital isso não acontecia. Tio Wilson ligou dizendo que estava chegando... Seria necessário trocar a fralda. Sabiam que a fralda que meu avô usa tem uma lista que muda de cor quando está molhada? Sensacional! Dessa vez só três mulheres, mamãe, eu e a enfermeira.... Fizemos um bom trio. Vovô quis voltar pra cadeira pra esperar o Wilson Roberto. Imagina se ele ficaria deitado na cama?! Rs rs.

Com tio Wilson e tia Christina - Felicidade
Gente, quando ele viu a tia Christina e o tio Wilson a cara de felicidade dele era uma coisa linda! Deu pra ler nos lábios dele "saudades de vocês". Ele ficou muito feliz mesmo, parecia que ia levantar da poltrona a qualquer momento, mas ainda não consegue, né?! Chegou o fisio, e meu avô tentava falar, explicar, mas a gente não consegue entender, talvez a Rejane ou o Nego tenham mais facilidade com isso, pra mim tá difícil apesar de eu ter sido muito boa com o tio Ronal.

O fisio levou ele até a cozinha porque deu pra entender pelos lábios que ele queria ir pra lá. Fomos. Mas teve que fazer exercício e voltar pra sala, e ele pedia pra enfermeira ficar quieta pra ele ouvir a gente conversando na cozinha... Kkkkk.... Fomos pra lá e ficamos com ele. E a vontade dele de tomar café.... Se deixasse ele pegava a minha xícara e tomava, eu juro. Me dá uma dó! Me dá uma vontade de quebrar todos os protocolos e fazer só um pouquinho.... Mas....

Mas.... o fisio, que por sinal tivemos muita sorte, é o dono da empresa de fisio e terapia ocupacional, chegou a hora que tem que dar folga pros funcionários, e aí vai ele, que é mega (eu que acho) experiente, e diferente de todos os médicos deu a opinião dele:
- tem que ter paciência
- o prognóstico (recuperação) é bom
- pra um senhor de 80 anos ele está acima da média
- escada: nunca é bom pra idoso escada, tapete, etc, ao mesmo tempo, estar em casa é estar em casa....
- escada parte 2: não dá pra ficar com escada sem cuidador (e a Faustina nesse caso não vale)
- comida: ele não é fono, mas ele acredita sim que aos poucos e com paciência (primeiro item dessa lista) ele vai sim voltar a comer, e a gente querer matar a vontade dele agora, só um pouquinho, não faz bem. Ele até entenderia caso ele não fosse voltar, mas como acredita que vai voltar ele acha que não devemos fazer isso.

Hummm, é isso... Aí hora de voltar pra cama, aliás, foram quase 7 horas de cadeira, e isso cansa muito ele. Hora de me despedir, com ele dormindo é mais fácil pra mim, quando tá acordado ele me beija tanto e segura tanto a minha mão que quebra meu coração ter que puxar minha mão a força....

No carro minha mãe e eu. Silêncio. Eu queria chorar.... Queria chorar porque até outro dia estaria meu avô lá no portão dizendo pra ir devagar, colocar o cinto de segurança e pedir pra ligar quando chegasse. Mas lá estava a minha avó sozinha, quatro quilos mais magra, mandando um beijinho. Se eu falasse algo choraria. Acho que minha mãe sentia a mesma coisa. Acho que o tio Wilson sentiu a mesma coisa... Não ligamos o rádio. Quebrei o gelo tentando achar em qual estação estaria passando o jogo do Brasil... E de novo sofri... Sofri porque meu avô estaria vendo e torcendo. Sofri porque ele estaria feliz de a Itália ter ganhado e teria ficado feliz pelo fato de o Kaleo estar lá assistindo a final, e tenho certeza que ele ficaria procurando ele e a Jéssica no meio da galera....

Como neta eu não sei mesmo o que eu sinto. Se agradeço o fato dele estar vivo, evoluindo e ter toda essa opinião do fisio (to ficando com essa - tentando na real) ou se lembro do passado.... Posso lembrar do passado, só não quero sofrer com isso. Não quero ver ele sofrer tentando se comunicar e eu, e nem quase ninguém, conseguindo entender.... Não quero ver a minha avó se acabando, porque sim, ela precisa de ajuda, sim ela está carente, sim ela parece uma fortaleza mas ninguém agüenta ver a pessoa que se está junto há quase 60 anos (contanto o namoro) passando por isso de forma natural. Meus avós sempre foram parceiros, juntos, família. Nunca dormiram separados, menos quando alguma filha teve neném e minha avó estava na maternidade junto. Minha avó sofre... Tem caibras, tem dores - ok ela já tinha, mas antes o Lauro era a fortaleza dela... Agora ele é a preocupação dela, e por mais evoluída que ela seja ela ainda é humana.

É isso... Quis passar pra vocês a realidade, mesmo que por 2 dias e uns quebrados como tem sido a vida agora pro "núcleo" familiar. Melhor que no hospital, certamente, mas doído demais em alguns momentos e felizes demais em outros, prefiro ficar com os outros, apesar do meu estômago as vezes esquecer desse detalhe.

"E não sabendo que era impossível, foi lá e fez" - Jean Cocteau

A casa da minha avó está uma zona. Só 2 quartos tem cama: o dela e o menor 1 cama de casal e 1 de solteiro. Família, peço que se puderem façam uma visita. Saibam que meu avô tem que trocar fralda. Toma banho lá pelas 10h da manhã, faz fisio de manhã e de tarde e fono 3 vezes por semana. Tem que aspirar, tem que cuidar... Tem que um monte de coisa... Mas eu acho que meu avô merece muito ter mais vezes a felicidade que ele teve ao ver o tio Wilson e a tia Christina. Quem puder, please. Só lembrem que a vovó não pode ficar fazendo sala.... Ela precisa é de companhia.







2 comentários:

  1. A realidade dura que temos vivido....
    É muito doído mesmo...
    Mas, não podemos desanimar.
    Cada vez que volto, venho com o coração partido, dividida.

    ResponderExcluir
  2. Gabi, seu avô é uma pessoa mto especial! Aliás, sua família é mto especial! É muito bonito ler por aqui sobre o carinho q vcs tem por ele!
    E ele tá um fofo nessa última foto,com cara de feliz mesmo! =)
    Dias melhores estão chegando!
    Bjs
    Robs

    ResponderExcluir