Marcadores

Da Gabi (161) Dos queridos (54) Amor (47) Por aí (35) Dicas (28) Família (28) Comidas (18) Viagem (16) Chatices (15) Esportes (13) Trabalho (12) Livros (9) Música (9) Crianças (5) Sampa (3) Filmes (2) Moda (2) PequenasFelicidades (1)

Instagram

sábado, 26 de novembro de 2016

Do lado de dentro

Eu fiz as contas: foram 6200 dias com ele, e outros 6500 sem ele. Quando meu pai morreu me lembro de alguém me dizer que um dia, no futuro, eu perceberia que eu já tinha vivido mais tempo sem ele do que com ele. Não tenho certeza se foi a Celinha ou Angela, que também perderam o pai cedo, com a mesma idade que eu e a Rafa. Isso me marcou muito e esse dia chegou...

Mais da metade da minha vida sem o meu pai. Acho impressionante como eu não sinto isso. E não é que eu não sinto falta, que eu não tenho saudade, ou qualquer coisa do gênero. É que pra mim ele está aqui, do lado de dentro. Meu pai tem um lugar na minha vida que não é a morte, essa enorme bobagem - parafraseando a Milly Lacombe - que vai tirar ele mim. Não sei quantos dias foram necessários para que a tristeza virasse saudade boa. Admito que tem dias que só tem saudade ruim. Saudade que dói. Mas são poucos dias. Os dias bons, que são maioria na minha vida tem sempre meu pai por perto.

Sou sempre inundada por boas lembranças, boas risadas. Faz mais de 6500 dias que não vejo o meu pai e nada disso me deixa esquecer a voz dele, os olhinhos verdes meio esmagadinhos, o cheiro do perfume e do jeito de buzinar. Lembro direitinho da mão dele, do pé 43 pedindo massagem, da quantidade de cerveja pra fazer ele feliz - muita, sempre.

Aqui em mim tem tanta coisa... A pele bronzeada que me destaca no verão, a neurose pelo cabelo penteado, o gênio forte, a assertividade que quase vira grosseria, a mania de querer liderar - pra não dizer mandar - em casa.

Toda vez nessa vida que eu sentir cheiro de carvão que acabou de ser aceso vou lembrar do meu pai. Sempre que uma costela sair da churrasqueira eu vou voltar lá pra vila cruzeiro naquelas tardes de GP do Brasil. Sempre que eu vir bolas de basquete, sempre que eu exagerar na quantidade de comida, ou toda vez que vir um parmesão inteiro eu vou lembrar dele. Toda vez que vejo uma árvore de primavera florida ele vai sorrir em mim.

Não é preciso muito tempo pra isso. Não é preciso foto. Não é preciso ser dia 09 de maio ou 09 de dezembro... Simplesmente é assim, é aqui... Do lado de dentro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário