Marcadores

Da Gabi (160) Dos queridos (54) Amor (46) Por aí (35) Dicas (28) Família (28) Comidas (18) Viagem (16) Chatices (15) Esportes (13) Trabalho (12) Livros (9) Música (9) Crianças (5) Filmes (2) Moda (2) Sampa (2) PequenasFelicidades (1)

Instagram

sexta-feira, 14 de março de 2014

um milhão de idas e vindas no metrô de NYC

Todo mundo já ouviu falar do metrô de Nova York, de como é bom, de como tem muitas linhas e de como abrange a cidade inteira. Fato! É impressionante - pra mim - a inclusão que o metrô de Nova York traz, alias a cidade pra mim é uma inclusão só, é impressionante. No metrô é possível ver gente de todos os lados, indo e vindo, trabalhando, estudando, se divertindo, fugindo do frio e se perdendo, nesse caso eu e o Re.

Sei lá, talvez o fato da paulistinha achar que entendia de qualquer metrô só porque em São Paulo tem metrô tenha sido o problema! E na boa, eu nem andei tanto de metrô assim na minha vida… Nunca morei perto de um metrô, aqui em São Paulo, bem diferente de NY, tem poucas linhas e não chegam em todos os lugares e nem incluem todos… Bom, aí também com meus 20 e poucos anos comprei meu Ka(zinho) vinho e até pouco tempo sempre fui motorizada… Nada de desbravar metrôs… E como se usar o metrô em SP fosse a mesma coisa… A ingênua paulista.

Mapa do metrô que peguei no Google
Tivemos sorte de principiante, no princípio! No dia 3 da nossa viagem nos perdemos bonito. Dowtown e Uptown é fácil, mas pra mim um lado do trilho vai e o outro vem… Só que não! E além disso ainda tem as vias expressas, ou seja os trens não param em qualquer estação. Na verdade eu olhava o mapa e não entendia muito bem como a linha amarela se desmembrava em 3…. Números e letras se confundiam nas estações da nossa famosa "baldeação"- quem não se lembra do inferno do metrô da Sé nessa hora? Queríamos ir pra rua tipo 61 e fomos parar na 116… Direto!

Nos perdemos e nos encontramos. Sorte de principiante! Até que um dia, num jantar com amigos com hora marcada estávamos indo para o sentido certo MAS, sempre tem um mas, perdemos a estação e fomos parar no Brooklyn! O Brooklyn não é em Manhattan! A vista é linda, ok, mas estávamos mesmo perdidos, até que pedimos informação pra uma santa moça que também estava no trem… Ela enfatizou, em inglês com seu sotaque de leste europeu "Desçam na próxima estação e peguem a linha Q (…) Vocês não precisam andar muito não, não precisam sair da estação, nem atravessar a rua, cruzem pela escada interna e peguem a linha Q". Só nessa hora eu percebi que vários trens, com diferentes letras ou números, passavam e paravam na mesma estação. Eu no meu "vasto conhecimento" do metrô paulistano achava que o trem que passava numa estação só ia a vinha pelo menos caminho… Tolinha…

Depois disso tudo quase entendido e explicado pelo nosso amigo que está morando lá é que fomos realmente entender o que rolava de segunda a sexta no metrô. Digo isso porque tarde da noite e finais de semana as coisas mudam. Os trens expressos costumam parar em todas as estações como se fossem locais, a freqüência dos trens diminui muito e os viajantes também! Vimos muitos mendigos se abrigando do frio nos trens, que funcionam 24 horas em Nova York. Tudo isso pode ser visto por qualquer pessoa um pouco mais atenta, ou mais esperta, ou menos ingênua em qualquer mapa que eles dão em hotel, mas que graça teria se tivéssemos percebido tudo isso antes?! Né?!

Nenhum comentário:

Postar um comentário