Marcadores

Da Gabi (160) Dos queridos (54) Amor (46) Por aí (35) Dicas (28) Família (28) Comidas (18) Viagem (16) Chatices (15) Esportes (13) Trabalho (12) Livros (9) Música (9) Crianças (5) Filmes (2) Moda (2) Sampa (2) PequenasFelicidades (1)

Instagram

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Num mundo onde é preciso ter opinião a agressão tá mandando ver

Eu cresci ouvindo dos meus pais "porque não" não é resposta. Sempre que não podia alguma coisa havia uma razão. Tinha motivo pra não dormir na casa dos amigos, tinha motivo pra não ficar até o fim daquela balada. Tinha motivo pra fazer aula de natação. Quem tem mãe professora de matemática tem racional nessa vida. rsrsrs.

Sempre observei gente interessante e inteligente e quase como um instinto natural procurei me informar sobre o que essas pessoas diziam, ler o que essas pessoas liam, abrir a minha cabeça. E isso foi aumentando ainda mais essa minha característica de buscar fundamento nas coisas... Sempre preferi observar e falar quando tenho mais certeza.

To aqui escrevendo e pensando como o mundo se coloca hoje. Como as pessoas vomitam hoje em dia. Fico pensando que faltou aprender com as vaquinhas... Faltou ruminar o assunto. Faltou pensar, refletir, entender o racional. Falta tanta sensibilidade pra expor os pensamentos que as pessoas sequer notam como agridem gratuitamente os outros. Os outros que em teoria são seus amigos, conhecidos, parentes, seja lá o que for, são pessoas.

Não sei o que falta... Não sei se é ler mais pra saber se colocar melhor, e to falando de usar palavras mais adequadas. Não sei se falta o que fazer. Não sei se falta compaixão, se colocar no lugar do outro mesmo. Ou será que falta humildade pra entender que nem todo mundo precisa concordar? Ou será que a pessoa que agride é só atrapalhada mesmo? Será que é só a forma de colocar isso pra fora? Talvez no fundo essas pessoas sejam ótimas, mas só não saibam se expressar. Será?

Me falta paciência... Me dá uma preguiça... E com 35 anos de idade eu fico pensando em como tirar tudo isso da minha vida sem parecer grossa. Porque eu penso em não ser indelicada com as pessoas... E me questiono se quando eu for mais velha vou ter mais coragem e ser digamos, mais definitiva.

E por que eu to falando tudo isso? Porque eu sou a favor da redução das velocidades. Isso é porque eu sou a favor das vidas. Sou a favor da redução de acidentes. Sou a favor dos motoqueiros (também) sim. Prefiro todos os motoqueiros vivos, prefiro que eles tenham os dois braços e as duas pernas. Prefiro que eles tenham as vértebras todas bonitinhas. Prefiro que eles não caiam, mesmo ouvindo argumentos de que alguns arrancam os retrovisores dos carros. Mas ok, também tenho amigos muito chatos. Isso é estatístico, acontece com todo mundo, em todos os lugares.

[E ok se você concorda com o aumento da velocidade porque você quer chegar mais rápido no trabalho, ou porque vai dormir um pouco mais, ou porque acredita e verifica que mudou muito o tempo do seu percurso. Não vamos brigar por isso, ok?]

E por que mais eu to falando isso? Porque eu sou contra passar tinta cinza nos grafites. Porque eu acho grafite bonito. Porque eu gosto das cores e eu fotografo os grafites sempre que posso. Porque eu comecei a dar atenção a eles quando fui a Berlin, com amigos desses interessantes que mencionei acima que são relevantes pra mim. Amigos esses que me fizeram querer olhar as coisas de outra forma. E passei a ver essa arte. E passei a entender isso como uma expressão, e porque eu sou libriana e gosto de coisas belas. E o que é belo pra mim não precisa ser belo pro outro.

[E ok se você acha feio. Eu também não entendo muita arte de museu. 
E nem preciso citar o fato de haver um projeto para a arte na av. 23 de maio, porque não é esse o MEU motivo. 
E sim, eu uso meu iPhone pra fotografar. 
E sim eu fiz mochilão quando eu tinha 20 e poucos anos. 
Quase posso sentir o cheiro de rótulos em fabricação]

E por que mais eu to falando isso? Porque eu queria muito que todo mundo lesse e refletisse, e pelo menos não agredisse mais os outros com palavras mal colocadas, com pensamentos arrogantes. E pra admitir que por mais que eu tente eu não consigo, não quero, não vou me colocar no lugar dessa turma - que é de direita, e de esquerda - que agride.

[Não apaguei ninguém do meu facebook, apenas parei de ver as publicações. Como eu disse, não quero parecer grossa com ninguém, mas não quero sobretudo me expor a certas grosserias].

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Gabi, adoro ler seus devaneios. Você tem o dom da palavra. Consegue expressar de uma forma leve e madura qualquer assunto que tenha que abordar.Acho que está faltando transformar tudo que vc escreve num livro.Parabéns!!

    ResponderExcluir